3 cidades que marcaram uma experiência AIESECa

Ana Luíza, mais conhecida como Analu, passou por uma longa jornada de desenvolvimento na AIESEC. Esse caminho a levou para mais longe do que imaginava. Durante a jornada teve duas paradas: Aracaju e Belo Horizonte. Atualmente ela está em Mumbai, na Índia. Qual o próximo passo ? Nem ela sabe.

Aracaju

Ouviu falar na organização e procurou saber um pouco mais. Quando leu a palavra intercâmbio, os olhos brilharam. Ela tinha acabado de voltar de uma temporada fora do país, com aquele sentimento misto de “Brasil, eu te amo” e de “preciso viajar”. Se inscreveu no processo seletivo querendo outra experiência internacional. Acabou se tornando membro da organização.

Era um trabalho gostoso de fazer. Aos pouquinhos começou a entender e descobrir as possibilidades. A AIESEC em Aracaju trouxe coisas incríveis. Entre elas um grupo de amigos que ainda hoje são tipo família. Aprendeu na prática algumas coisas que usa hoje na vida profissional. Melhorou sua oratória e também habilidade de vendas.

Por lá, aprendeu que deixar de lado algumas coisas é essencial para conseguir alcançar seus objetivos. Hoje, mesmo de longe, sempre fica de olho no que acontece no escritório. E não perde a chance de dar algumas opiniões, que são sempre bem-vindas.

 

 

Belo Horizonte

Formada, do dia para a noite arrumou um estágio incrível em Belo Horizonte. Se mudou com o objetivo de passar seis meses. Em uma noite, por acaso, estava no seu bar preferido quando ouviu uma conversa no dialeto da AIESEC. Se aproximou e perguntou se o grupo fazia parte da organização e onde ficava o escritório. Era do outro lado da rua do seu apartamento. Como era tão pertinho, Analu resolveu dar uma passada lá no dia seguinte. Chegou no meio de uma reunião geral. Ela estava acostumada a um escritório com poucas pessoas e se deparou com um lugar lotado. Mal sabia que ia acabar passando mais tempo ali que na própria casa. Ela viu na AIESEC em Belo Horizonte um lugar onde poderia estar com pessoas e ao mesmo tempo contribuir com algo que ela ama, para uma organização que ela ama.

 

 

2015 se revelou um ano incrível. Cidade nova, pessoas novas e um time que aconteceu por acaso, mas exatamente o que ela escolheria se tivesse a chance. Foram só aprendizados. Se tornou mais humilde e menos crítica. Teve a chance de trabalhar com uma líder que mostrava onde e como melhorar. Essa pessoa ensinou que era possível se importar com resultados e se preocupar com a evolução como pessoa. Foi entrando cada vez mais de cabeça na AIESEC.

O estágio acabou, o ano acabou, mas ainda tinha laços em Belo Horizonte. Participou da organização de vários eventos nacionais. Pôde desenvolver sua paciência, sua capacidade de empoderar os outros e de se autoconhecer. Mas também suas habilidades de desenho, cortar e colar. Depois, voltou a se dedicar localmente. Quando você pensa que já aprendeu tudo, as coisas mudam. Ela teve um novo time, uma nova área, e assim novos desafios. Viu a organização mudar. Poder assistir isso de perto foi muito bom.

Mumbai 

Já estava formada a algum tempo e não muito satisfeita com as possibilidades. Além de estar num momento de decidir o que fazer da vida, sentia saudade de viajar. Essa mistura fez com que decidisse viver a experiência que passou mais de três anos vendendo. Passar pelo máximo de experiências que a AIESEC tinha para oferecer seria incrível.

Depois de decidir que iria viajar começou o processo como qualquer pessoa de fora. Ela resolveu o que sempre falou para as pessoas para quem vendia o intercâmbio. Você não deve escolher a vaga ou o país antes de saber qual tipo de experiência você precisa ter, e o que faz sentido nesse momento.

Depois disso, não tirou mais a Índia da cabeça. Tinha certeza que não seria fácil e que o choque cultural seria enorme. Mas fazia sentido para ela e traria muito aprendizado.

 

Analu está na Índia agora. Não se sente decepcionada nesse sentido. As diferenças são muito grandes e a cultura te engole de uma maneira muito forte. É muita gente, muito trânsito, tudo novo. Desde tentar se localizar com placas escritas em Hindi até os cheiros e os sabores. Ela promete novidades em breve de como a Índia está cuidando dela.

Quando perguntada se encerrou seu ciclo de experiências de AIESEC por aí, ela deixa no ar. “Nunca se sabe. Acho que nesse momento essa é a experiência que estou precisando. Quando tudo isso acabar, veremos qual será meu destino!”

Essa é a história da Analu. Quer começar a escrever a sua? Clique aqui se o seu interesse é trabalhar junto com a AIESEC da sua cidade, e aqui se você quer saber mais sobre o Talentos Globais!

 

Cynthia Salomé

Habilidades que a AIESEC te dá e a faculdade não ensina

As universidades ensinam muito sobre habilidades e teorias, mas quando se trata de ser capaz de implementar as aprendizagens na prática, muitos jovens acham difícil. Isso também tem sido notado por muitos empregadores que dizem que os jovens estão perdendo as habilidades e competências necessárias em um ambiente profissional. É importante que os jovens saibam como gerenciar o tempo corretamente, se comunicar efetivamente em diferentes ambientes e possam enfrentar desafios quando confrontados. Mas, se as universidades não estão equipando os jovens com essas habilidades, eles precisam procurar em outro lugar para a experiência.

 

“Faltam aquelas competências que os americanos chamam de “soft skills”, como comunicar-se bem, avaliar o que cada um é capaz, montar e motivar uma equipe, além de uma série de outras coisas que levam à uma performance melhor”, diz Armando Dal Colletto, diretor acadêmico da Business School São Paulo.

 

Na AIESEC, percebemos a necessidade de melhores líderes no mundo e acreditamos que a liderança pode ser desenvolvida em qualquer pessoa. O modelo de desenvolvimento de liderança da AIESEC procura preparar a juventude para tomar uma posição sobre o que eles se preocupam e tornar-se capaz de fazer a diferença através de suas ações cotidianas. Acreditamos que, ao equipar os jovens com essas habilidades de liderança, eles estarão mais preparados para o futuro.

 

Todos os nossos produtos desenvolvem quatro pilares de liderança que estão relacionados às tendências mundiais atuais. Essas qualidades são self aware, world citizen, empowering others e solution oriented. Abaixo você pode ler como esses pilares de liderança são relevantes profissionalmente para os jovens.

 

     Self Aware

 

A diminuição da necessidade de líderes formais trouxe a necessidade de mais líderes conscientes. Um líder auto-consciente sabe em que ele é bom, o que é importante, sobre o que ele é apaixonado. Quando os jovens se conhecem, eles são capazes de tomar melhores decisões para suas carreiras também. Os jovens de hoje querem trabalhar para uma empresa que compartilha os mesmos valores que eles e que faz algo de bom para o mundo. Estar ciente de seus próprios valores e paixões os ajuda a escolher este tipo de organização e isso aumenta a retenção de funcionários. Além disso, um líder auto-consciente se concentra em suas forças sobre as fraquezas, tornando-os mais prontos para assumir novos desafios no trabalho, não deixando suas fraquezas retardá-los.

 

 World Citizen

 

Com a globalização, o mundo dos negócios tem cada vez menos fronteiras. No entanto, a globalização também trouxe uma nacionalização crescente em muitos países. É por isso que ser um cidadão do mundo é uma habilidade cada vez mais importante para se ter na vida profissional. Estar interessado nas questões do mundo, e especialmente assumir a responsabilidade de melhorar o mundo são essenciais para fazer negócios em um mundo globalizado. A AIESEC dá aos jovens a oportunidade de se desafiarem em outro país e entender que os problemas do mundo não se limitam a territórios. Eles são capazes de aprender sobre as pessoas e a cultura daquele país, tornando-os mais equipados para trabalhar com pessoas de diferentes origens. Isso não se aplica apenas a um local de trabalho internacional, mas a qualquer trabalho onde haja necessidade de trabalho em equipe e interagir com outras pessoas.

 

 Empowering Others

 

A qualidade de capacitar os outros é necessária para navegar no complexo e interconectado mundo moderno. Habilidades de comunicação são vitais para qualquer trabalho, já que as pessoas precisam ser capazes de se comunicar efetivamente em diversos ambientes para mostrar seus pontos de vista e opiniões de forma clara e evitar quaisquer chances de mal-entendidos. Também é importante que os jovens saibam como colaborar com outras pessoas para alcançar um propósito maior, por isso é um fator muito procurado pelas empresas jovens que saibam liderar e gerir um time. Por último, ao desenvolver a habilidade de capacitar os outros, os jovens poderão contribuir para o desenvolvimento pessoal dos outros e capacitá-los a agir. Isso significa que eles podem capacitar seus colegas de trabalho para alcançar maior e desafiar-se.

 

Solution Oriented

 

O ritmo acelerado do mundo moderno também o torna um lugar mais incerto, e os jovens precisam estar preparados para a mudança. Em vez de congelarem diante de um desafio, os devem mostrar flexibilidade e uma mente rápida para solucionar qualquer problema que surja. A incerteza de mudanças constantes pode parecer assustadora, mas ao permanecer positivo, um líder pode dirigir sua equipe para frente, apesar da incerteza que eles podem enfrentar. Isso exige a disposição para assumir riscos quando são necessários. Esta qualidade é muito importante em um ambiente de trabalho, como você nunca pode saber quais mudanças podem acontecer no dia seguinte, econômica ou politicamente. Um líder orientado para a solução não permite que falhas o atrapalhe, e sim uma oportunidade de levantar e continuar a lutar para o que está buscando.

 

Acreditamos que se desenvolvermos essas quatro habilidades em jovens, isso os tornará prontos para enfrentar os desafios do mundo. Eles também serão capazes de transformar as teorias e conhecimentos que aprenderam na universidade em prática.

 

Deseja passar por um estado de desenvolvimento como esses? Clique aqui!

Wallace Gomes da Costa

Sérvia e a dinâmica do BBB: “Bom, Bonito e Barato”.

A República da Sérvia é um país europeu, cuja capital é Belgrado, localizado no sudeste da Europa. Faz fronteira a sudoeste com Montenegro, país do qual se separou em 2006, a oeste com a Bósnia e Herzegovina, a noroeste com a Croácia, ao sul com a Macedônia e com a Albânia, ao leste com a Romênia e com a Bulgária e ao norte com a Hungria.

 

A Sérvia fazia parte da antiga Iugoslávia (Eslovênia, Croácia, Bósnia e Herzegovina, Macedônia, Montenegro e Sérvia). E se você acha que esses países têm algum clima de guerra entre si, ou rivalidades, você está totalmente enganado. Houveram muitos conflitos para acontecer a separação, mas até hoje todos os países vivem em harmonia e união, como se as fronteiras fossem apenas físicas.

 

 

A Sérvia é um país pequeno, com pouco mais de 10 milhões de habitantes, mas é culturalmente um dos mais diversificados da Europa. Enquanto o Norte é culturalmente mais como a Europa Central, o Sul é mais Oriental. Evidentemente, ambas as regiões influenciaram-se muito por seus países de fronteira. A Sérvia é neste momento um país em modernização, tal como acontece a muitos outros países do Leste Europeu. E isso pode ser percebido pela arquitetura das cidades mais novas, como Nova Belgrado e Zemun, que se uniram a capital devido a sua expansão, e hoje em dia são uma cidade só, mas com arquiteturas totalmente diferentes. Um lado histórico e o outro moderno.

 

A capital Belgrado ganha fama cada ano que passa devido às suas fantásticas noites cheias de energia e movimento para os amantes de saírem e se divertirem. Essa cidade, que fica no encontro dos enormes rios Danúbio e Sava, hoje respira cultura, história, tem lugares lindos a serem percorridos; parques, uma vida noturna bastante agitada, diversos cafés.

Dicas importantes para todos os intercambistas que vão para a Sérvia:

– A Sérvia não é um país caro, e a maioria dos pontos turísticos são de graça.

– As coisas são bem baratas, os bares e supermercados super acessíveis.

– Visto é exigido para brasileiros. Sempre tenha em mãos seu passaporte com o visto e o ticket de permanência.

– O clima é bem intenso. No verão o dia chega a 40º C, e a noite a 10º graus.

– Já no inverno a neve é tão intensa que pode chegar a 2 metros de altura.

 

Já pensou em conhecer uma cultura e um país diferente como a Sérvia? Essa é a hora! Clique aqui e conheça um pouco mais!

 

 

Wallace Gomes da Costa

Como a páscoa é comemorada em outros países

A Páscoa é uma época cheia de tradições e em muitos países não se resume apenas em ovos de chocolate e no famoso coelhinho, mas também em liturgias, procissões, almoços em família e cordeiro. Embora existam elementos em comuns, as tradições agregam características de cada cultura e região.

No mundo, existem diferentes simbologias ligadas a essa data. O ovo aparece como representação de fertilidade em diversos países – e nem sempre é de chocolate. Outros símbolos conhecidos são o sino e o coelho.

Índia

Nos destinos indianos, onde o hindu é praticado, a festa ganha detalhes únicos, encontrados apenas no país. Em vez da páscoa, tal qual como conhecemos, na Índia é comemorado o festival Holi. A data é marcada para relembrar o nascimento do deus Krishna.

Garantindo um mergulho cultural incomparável, o país todo se reúne para dançar, tocar flautas e outros instrumentos musicais, preparando ainda verdadeiros banquetes com comida e pratos típicos, ou seja, uma oportunidade única para saborear a exótica culinária indiana. Outra marca da festa é a presença dos elefantes que recebem pinturas especiais pelo corpo. E não pense que a arte fica restritas aos animais. Os anfitriões marcam a testa de seus convidados com um pó colorido. Hoje em dia, o pó toma conta das ruas, enchendo de cor ruas, lugares e pessoas.

 

Polônia

Na Páscoa da Polônia, a tradição diz que o dono da casa não pode ajudar a preparar o famoso “Pão de Páscoa”, pois caso contrário seu bigode ficará cinza e a massa irá desandar. Há quem diga que esta seja apenas uma boa jogada de marketing das padarias polonesas, mas por via das dúvidas nenhum bigodudo costuma arriscar…

Grécia

A Páscoa tem uma diferente tradição na Grécia, em que ovos vermelhos (simbolizando o sangue de Jesus) são distribuídos entre os convidados (geralmente a família), que devem encostar no ovo de outro convidado até rachá-lo. Reza a lenda que o último a ter seu ovo rachado terá bastante sorte e fartura no ano seguinte.

Alemanha


O alemão Volker Kraft decorou uma árvore com cerca de 9.200 ovos de Páscoa, no jardim de sua casa

A Páscoa alemã celebra tanto o feriado cristão quanto a chegada da primavera. Tradicionalmente, as árvores são enfeitadas com ovos coloridos. Uma curiosidade: apesar de muitas pessoas terem abandonado a tradição, um senhor de 76 anos chamado Volker Kraft colecionou 10 mil ovos ao longo da vida e, todos os anos, os pendura em uma macieira em seu jardim.

Ucrânia

A tradição mais forte é a decoração de ovos com os quais serão presenteados amigos e parentes. A tradição diz que, se as crianças forem bem comportadas na noite anterior ao domingo de Páscoa e deixarem um boné de tecido num lugar escondido, o coelho deixará doces e ovos coloridos nesses ‘ninhos’.

Aproveite os outros feriados em outros cantos do mundo! Clique aqui e saiba como!

Wallace Gomes da Costa

Intercâmbio: Por que escolher a AIESEC?

Para fazer um intercâmbio, principalmente quando é sua primeira aventura internacional, é importante ter apoio. Além dos amigos e da família, é essencial que a agência ou organização responsável pela viagem também garanta suporte em momentos importantes.

Pensando em fazer uma viagem internacional?

Hora de vender nosso peixe!

Mostramos alguns dos motivos que mostram como é vantajoso escolher um programa de intercâmbio da AIESEC.

Aqui é de jovem pra jovem

Ok, falar “jovem” pode soar meio “velho”. Mas é porque é isso mesmo, a equipe da AIESEC é toda composta por jovens. Sendo assim, a gente sabe o que você precisa e que o intercâmbio vai ser importante pra sua carreira e vida pessoal.

Além disso, ter uma equipe mais nova não tira nossa credibilidade não. Pelo contrário.

Somos reconhecidos pela ONU!

Uma galera de 18 a 30 anos dá um duro danado para organizar e coordenar os váaarios escritórios que temos ao redor do mundo. (quer trabalhar com a gente? Vem! Clique AQUI)

Queremos que você exerça liderança

Na AIESEC a gente acredita que todo jovem pode ter o espírito de liderança, aprender a trabalhar em equipe e ser mais proativo. Tendo essas habilidades é possível promover mudanças e influenciar positivamente o meio em que se vive.

O intercâmbio, tanto voluntário quanto profissional, é uma das principais ferramentas que utilizamos para desenvolver essa liderança.

Você é muito bem direcionado

A AIESEC é uma grande companheira em todo seu percurso de viagem. Estamos com você desde o momento de decisão – tipo agora que provavelmente você está lendo este texto porque está interessado – até o fim do seu intercâmbio.

Também oferecemos preparação cultural – pra você não chegar perdidão no seu país de destino – acompanhamento periódico através de e-mails e na volta uma reintegração cultural para você se acostumar com a vida no Brasil de novo.

Mais do que um intercâmbio, uma experiência com propósito

Aqui na AIESEC seu intercâmbio vem com um propósito muito maior. Mais do que um momento para aprender outra língua ou para colocar no currículo, nos nossos programas reforçamos a ideia do desenvolvimento humano. Queremos que você ganhe como pessoa, tenha momentos de autoconhecimento e aprenda a se virar – é meus amigos, essa habilidade é essencial nesta coisa de vida adulta.

É pra sair da zona de conforto mesmo

Na AIESEC incentivamos você a sair da sua zona de conforto. O intercâmbio em si já é uma experiência fora desse espaço, né? Mas, além disso, já começamos te dando várias opções de destinos pouco tradicionais para esse tipo de viagem: Peru, Eslováquia, Índia, Grécia, México e Egito, por exemplo.

E aí, se animou?

Clique AQUI e veja como se candidatar para uma vaga num dos nossos programas!

Wallace Gomes da Costa

Porque não a Ucrânia?

O território ucraniano começou a ser habitado há cerca de 44 mil anos, e acredita-se que a região seja o lar da domesticação dos cavalos. Na Idade Média, a nação se tornou um polo da cultura, conhecido como o poderoso Estado Principado de Kiev. Após a sua fragmentação no século XIII, a Ucrânia foi invadida, governada e dividida por uma variedade de povos. Tornou-se um Estado-nação independente apenas em 1991.

 

Um país super barato!

A Ucrânia é um dos países mais barato na Europa. Em comparação aos outros países seu valor é muito baixo. Com €4 você consegue andar de uma ponta a outra da capital Kiev tranquilamente. O novo e o antigo vivendo juntos. E em Kiev não poderia ser diferente. No centro da cidade, muitos dos edifícios estão com seus centenas de anos, mas daí você vira e tchum, um prédio super moderno aparece.

 

Tem uma Arquitetura fenomenal!

Pela capital Kiev pode-se perceber muitas cores, muitas mesmo. Ouro, muito ouro. A arquitetura se encontra entre antigo e o novo. Ao mesmo tempo que se encontram arquiteturas antigas e milenares, faz-se um contraste com prédios gigantes e modernos. Os dias tem um céu lindo para completar a paisagem. E uma coisa muito surpreendente é que tudo é muito limpo. A população cuida muito bem da cidade e é difícil encontrar até papel de bala no chão devido às leis de preservação ambiental e consciência sustentável que é ensinado para os Ucranianos desde a escolinha.

 

Povo ucraniano

Se você acha que o povo Ucraniano é frio, coração gelado e de cara fechada o tempo todo você está erradíssimo. É impossível não se encantar com o povo ucraniano. Eles são a simpatia em pessoa. Sempre com um sorriso no rosto e tentando ajudar. Muitos deles conhecem apenas algumas palavras em inglês, mas isso não os impede de engatar uma conversa.

 

Patrimônios Mundial da UNESCO
Kiev tem 2 Patrimônios Mundial da UNESCO que você pode conhecer. A Catedral de St. Sophia e Kiev-Pechersk Catedral.

– A Catedral de St. Sophia

Datada do século XI, a construção da catedral foi encomendada por Yaroslav, o Sábio, o governante do Principado de Kiev na época.

 

 

 

– Mosteiro de Kiev-Petchersk

Em 2007 foi eleito uma das Sete Maravilhas da Ucrânia. É o mosteiro mais antigo da Ucrânia e um dos lugares santos da religião ortodoxa oriental.

 

 

 

 

 

E aí, gostou? Quer se desafiar? Conhecer uma cultura diferente? Descubra a Ucrânia e seus projetos clicando aqui.

 

Wallace Gomes da Costa

 

5 maneiras de convencer seus pais que você deve fazer um intercâmbio

Fazer um intercâmbio é o sonho de muitos jovens. Conhecer lugares novos, pessoas, culturas e viver uma experiência diferente é algo que costuma aparecer na lista de desejos desse grupo. Mas, para concretizar essa vontade existem alguns fatores importantes, entre eles, o apoio da família.

Está louco para realizar uma viagem internacional, mas precisa convencer sua família?

Aqui vão algumas dicas para convencer seus pais que é uma ótima ideia fazer um intercâmbio. Confira:

1- Faça um planejamento financeiro e mostre pra eles

Uma das primeiras dificuldades que aparecem na hora de pensar num intercâmbio é a grana. Se você tem o objetivo de viajar, se organize financeiramente durante um tempo. Agrupe seus gastos, avalie o que é possível economizar e durante qual período. Arrume maneiras de ganhar um dinheirinho extra (bicos, freelas, venda de coisas que não usa mais…) e depois mostre todo esse plano para seus pais. Pesquise também países mais baratos para fazer sua viagem. Assim, eles poderão ver o seu real interesse e que não seria uma despesa inteiramente deles.

2- Liste benefícios que você pode ganhar pessoal e profissionalmente nessa aventura

Pais desejam o bem dos filhos. Então, aproveite para mostrar a eles os benefícios que um intercâmbio pode trazer. É possível citar vaaárias coisas como:

  • Aprendizado de línguas

  • Proatividade

  • Desenvolvimento de competências como liderança

  • Conhecimento de novas culturas

  • Autoconhecimento

  • Diferencial no currículo

3- Chame aquele amigo que já viajou pra um bate-papo

Se você tem um amigo que teve uma experiência bem legal de intercâmbio, chame ele para conversar com seus pais. Caso seja uma pessoa mais próxima, você pode até combinar de chamar algum familiar dele para a conversa também. Se seus pais entenderem melhor como funciona o esquema, fica mais fácil de tranquilizá-los. E por falar nisso…

4- …Prometa que sempre dará notícias (e cumpra depois, por favor)!

Se um dos seus maiores problemas é lidar com a preocupação dos seus pais é importante ter uma conversa bem franca com eles. Prometa sempre dar notícias seja por Whatsapp, Facebook ou chamadas no Skype. Pais são assim, eles se preocupam mesmo e isso não vai mudar.

O mochileiro Jonathan Quiñónez foi bem criativo na hora de avisar sua mãe que estava bem em suas diversas viagens:

intercambiopais2.png

intercambiopais3.png

intercambiopais1.png

(@momimfine)

5- Mostre pra eles o suporte que você terá durante a viagem

Se você está pensando em realizar um intercâmbio pela AIESEC não precisa se preocupar quanto ao suporte na hora de viajar. Te damos todo o apoio a partir do momento que é feita  a decisão de participar dos nossos programas de intercâmbio. Existem reuniões de preparação cultural, um representante da AIESEC responsável por receber o intercambista no outro país e caso existam dúvidas é possível entrar em contato com os escritórios.

Leia também: Como eu me candidato pra uma vaga de intercâmbio na AIESEC?

Agora que você já tem ideia de como convencer seus pais é só se organizar e conversar com eles. Quer viajar pela AIESEC? Converse com a gente! Procure o escritório mais próximo clicando AQUI.

Você realmente se importa com o mundo que vive?

Você reciclaria se você não soubesse que deveria? Você usaria calças se você não soubesse que deveria? Claro que não, por que, como você saberia? O mesmo vale para contribuir para o bem-estar do nosso planeta. Como você deve saber para fazer alguma coisa, se você nem sabe o que está errado?

 

A maioria de nós tem suas vidas planejadas de uma certa maneira, temos ambições e sonhos que queremos cumprir. Você já planejou ajudar outras pessoas? Para se certificar de que o ambiente é seguro? Não é algo que a maioria de nós é ensinado. É algo que temos que fazer nós mesmos.

 

Nosso mundo não está em um ótimo lugar no momento. Olhe para a primeira página de qualquer jornal, e provavelmente haverá algum tipo de história negativa lá. Mas por que você se importa, certo? Claro, você sente pena dessas crianças pobres em países do terceiro mundo e também das  pobres baleias no oceano. Mas não há nada que você possa realmente fazer, certo? Bem, errado.

 

O primeiro passo para contribuir para o bem-estar da nossa sociedade é educar-se. Tome meia hora todos os dias, leia sobre os problemas que estamos enfrentando atualmente, leia sobre onde as pessoas estão sofrendo e onde eles precisam de ajuda.

 

A AIESEC é uma organização onde acreditamos que a liderança é uma das soluções fundamentais para os problemas do mundo. Com um termo como a liderança sendo muito difícil de definir, a AIESEC fez algumas pesquisas e separou o conceito em 4 qualidades, que acreditamos fazer uma pessoa se tornar um ou uma grande líder. Uma dessas qualidades é ser um cidadão do mundo. Agora o que isso significa? Aproveitar uma viagem? Estar interessado em novas culturas? Tenho certeza de que se você já conversou com alguém sobre seus interesses, 80% das pessoas terá dito uma dessas coisas.

 

Todo mundo gosta de viajar. Mas o que te torna um verdadeiro cidadão do mundo é quando você está interessado no que está acontecendo em nosso mundo. Estes dias, a maioria das pessoas estão muito bem informadas sobre as questões que estão acontecendo em seus países. Com a mídia social, a informação está apenas a uma pesquisa do Google de distância. Mas nós não somos divididos por países para que todos nós possamos ser separados em nossas próprias bolhas. Todos nós vivemos no mesmo planeta e o bem-estar deve ser uma preocupação de todos. É por isso que é importante também educar-se sobre as situações em outros países do mundo.

 

Como Nelson Mandela disse, “A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo.”

 

Mesmo que não esteja em seu plano de 5 anos para ajudar outras pessoas e fazer uma mudança positiva no mundo, é algo que vale a pena pensar para fazer um dia. Nas palavras de Robert Swan, “A maior ameaça a nosso planeta é a crença de que alguém o salvará”. O que você está fazendo sobre isso?

 

Encontre sua oportunidade em aiesec.org.br!

Wallace Gomes da Costa

Já imaginou um intercâmbio interplanetário?

Já parou para pensar que daqui um século (ou mais) as pessoas poderão viajar para outros planetas? Segundo a cientista-chefe da Nasa, Ellen Stofan, teremos registros de alienígenas que vivem em outros planetas até 2025. Agora imagine como seria fazer um intercâmbio profissional ou voluntário em outro planeta? Incrível, não?

Stofan disse que serão encontrados sinais de vida fora da Terra em até 10 anos, e provas definitivas disso em até 20 anos. “Nós sabemos onde procurar. Então sabemos como procurar”, falou, em um debate transmitido na Nasa TV sobre a possibilidade de encontrar outros “mundos habitáveis”.

 

E de acordo com os Ufólogos mais renomados dos planetas, existem diversos tipos de raças de alienígenas. Cada uma com suas características únicas e comportamentos totalmente diferentes. Muitos deles já foram utilizados em filmes, desenhos e histórias, e provavelmente você já deve ter ouvido falar.

 Os Reptilianos

 

Os Reptilianos são definidos como uma raça de humanóides répteis, são um tema comum em obras de ficção científica, fantasia, ufologia e teorias de conspiração. São denominados por muitos termos dependendo do contexto, incluindo – Homens cobra, Reptóides ou Draconianos.

 

Dizem que atualmente os reptilianos não tem mais planeta natal, e que andam pelo universo dominando outras raças (atualmente a humana) enquanto não acham um planeta que seja ideal para seus corpos. Bom, pensando que eles já tenham sua casa própria (amém) daqui alguns séculos, provavelmente o lugar será bem instável.

 

Em algumas horas do dia será muito frio, em outras, muito quente. Isso porque eles não conseguem manter a temperatura do corpo estável. A temperatura desses animais varia de acordo com a do ambiente. Quando querem se aquecer, expõem-se ao calor. Quando estão muito quentes e precisam se resfriar, procuram lugares frios.

 

Prepare suas melhores roupas de inverno/verão para conhecer esse planeta!

 

 Os Greys

 

Provavelmente é a raça mais famosa de todas. Segundo a Ufologia, os greys são seres extraterrestres que possuem como características principais baixa estatura, tendo a média de 1,30 metros (não deixe pra comprar roupas lá!), cor da pele variando entre acinzentada a amendoada, olhos grandes e negros, boca e narina fina, corpo desproporcionalmente pequeno e raquítico com relação ao tamanho da cabeça e mãos como garras com três ou quatro dedos. Os Greys seriam naturais do sistema Zeta Reticuli.

 

Os Greys são uma raça que tem quatro estômagos. Exatamente! Então prepare-se, quando conhecer o planeta deles saiba que voltará com alguns quilos a mais. Também é considerada a raça mais avançada na construção, inovação e criação de naves. Não há engenharia melhor que a deles em todo a galáxia! Por isso, se for fazer algum intercâmbio profissional relacionado a tecnologia, não pense duas vezes.

 

  Os Anunnaki

E.T.jpg

 

A palavra Anunnaki vem da língua suméria e significa “aqueles que vieram do céu”. Os Anunnakis são extra-terrestres vindos do planeta Nibiru e que criaram a raça humana como ela é hoje. Eles também são os responsáveis por todo o conhecimento científico do povo Sumério.

 

Os Anunnaki têm um grande problemas com comparecer aos eventos marcados. Esperamos eles nos supostos fim do mundo dos anos 2000 e 2012 e até hoje nada. Por isso, tenha em mente de que se marcar de sair com um deles, talvez não cheguem nunca, ou se chegarem talvez seja alguns anos depois. E se prepare para viajar! Nibiru é maior que Júpiter! Um planeta muito grande e com uma vasta paisagem. É muito lugar pra conhecer!

 

Achou interessante? Enquanto esse dia ainda não chega, faça seu intercâmbio aqui na Terra mesmo! É fácil, é só clicar aqui!

Wallace Gomes da Costa

Intercâmbio: saiba como escolher a melhor vaga de intercâmbio para você

Está querendo fazer um intercâmbio pela AIESEC?

Separamos alguns toques pra você saber escolher melhor sua vaga para uma viagem incrível. Crie seu cadastro no Opportunities, vem com a gente pensar melhor sobre suas preferências e ache a oportunidade que você esperava!

O que eu quero de um intercâmbio?

– Voluntário ou Profissional?

A primeira coisa a ser levada em consideração é o que você está querendo com a experiência de intercâmbio. Já reforçamos algumas vezes que a AIESEC não é uma agência, mas sim um espaço para desenvolver lideranças e impactar não só sua vida profissional, mas também pessoal. Uma das maneiras de fazer isso acontecer é através do intercâmbio.

Se você deseja uma viagem que te faça colocar a mão na massa, aprender um tanto de coisa e de quebra ainda trazer transformação, tá no lugar certo. A partir daí, pense: o que eu quero é trabalhar na minha área em outro país? Ou exercer um trabalho mais humanitário?

Então, refletindo sobre essas possibilidades, faça sua escolha:

  • Voluntário Global

  • Talentos Globais

  • Empreendedor Global

Conheça um pouquinho mais sobre cada um no próximo tópico.

Os programas

Voluntário Global:

Está há um tempão pensando que você precisa fazer algo pra ajudar a melhorar o mundo, né? Então esse programa será ótimo! É aquele clichê, não mudamos o mundo sozinhos, mas “de grão em grão a galinha enche o papo”. Logo, sua iniciativa de trabalhar em algum dos nossos projetos sociais já pode contribuir muito para solucionar a carência de alguma região.

É importante pesquisar na nossa plataforma as oportunidades que te atraiam. Entre nelas, dê uma “fuçada” no que é exigido em cada vaga e veja se encaixa no seu perfil. Lá vai ter tudo relacionado: o trabalho, se oferece algum auxílio transporte ou refeição, competências necessárias, etc.

– Idioma:

Cada vaga da plataforma Opportunities mostrará os idiomas preferidos em cada projeto. Geralmente, os intercâmbios voluntários da AIESEC não exigem fluência, mas isso pode variar de acordo com a vaga. Caso tenha alguma dúvida, entre em contato com o escritório mais próximo de você.

– ODS:

Todos os intercâmbios voluntários da AIESEC estão relacionados a algum dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Estamos comprometidos com a causa mesmo <3

– Remuneração:

Os trabalhos desse programa de intercâmbio são voluntários, logo não tem.

– Duração dos intercâmbios:

de 6 a 12 semanas.

Talentos Globais:

Se você tem muita vontade de exercer sua função fora do país essa é uma boa chance. O “Talentos Globais” é um programa mais extenso para estágios em outros países.

É importante que você pesquise sua área de atuação no Opportunities para saber se existem vagas relacionadas a ela.

– Idioma: Como se trata de um emprego, é necessária a fluência do idioma exigido pela vaga.

– Remuneração: Existente, mas varia de vaga pra vaga.

Geralmente essa informação está disponível no Opportunities.

– Duração dos intercâmbios:

de 6 a 78 semanas.

Empreendedor Global:

A principal diferença entre o EG e o Talentos Globais é o seu ambiente de trabalho. Se você possui perfil empreendedor e gostaria de atuar numa startup, então esse é o programa que mais combina com seu perfil. Um estágio numa startup internacional é ideal para desenvolver a carreira!

– Idioma: Como se trata de um emprego, é necessária a fluência do idioma exigido pela vaga.

– Remuneração: Não existe remuneração nesse programa.

Porém, existem algumas raras exceções. Confira no Opportunities ou com o escritório mais próximo.

– Duração dos intercâmbios:

de 6 a 12 semanas.

Países

A AIESEC está presente em mais de 120 países.

Inclusive, gostaríamos de mostrar pra você que existem diveeeersas possibilidades além dos destinos mais comuns de intercâmbio. Abra sua mente para lugares diferentes!

Veja alguns deles:

Na África

Na América Latina

Na Ásia

No Leste Europeu

Agora que você tem esse tanto de informação, só falta decidir!

Bora fazer um intercâmbio?