UG213-vitrine

Diversidade de gênero: a luta ao redor do mundo

  |  Postado por: AIESECo do Blog 30 de junho de 2017

No dia 28 de junho de 1969 aconteceu, nos Estados Unidos, o início do que ficou conhecido como a Revolta de Stonewall. Naquele dia, um grupo que frequentava um bar LGBT em Nova York enfrentou a polícia em um confronto histórico, que acabou transformando aquela data no Dia do Orgulho LGBT.

Em uma época em que a discriminação aos homossexuais era comum e realizada com frequência até pelas instituições governamentais, a ação dos manifestantes representou o fortalecimento da luta por direitos iguais e mais respeito. Só depois dela é que começaram a ser aceitos estabelecimentos para o público gay na cidade e eventuais políticos passaram a defender a causa.

Quase 50 anos depois, a luta pelo respeito à diversidade de gênero continua ativa e ainda cheia de conquistas a serem alcançadas. No Brasil, por exemplo, são recentes as leis que tratam sobre o combate à violência e à discriminação contra LGBTs e ainda há muito a ser feito. Seguindo exemplos de importantes figuras de todo o mundo que levantaram a bandeira pela diversidade, no país o movimento também busca, basicamente, igualdade de direitos, liberdade e respeito a lésbicas, gays, bissexuais e transexuais.

Todos pela diversidade

Na Europa, o movimento LGBT teve início de forma mais relevante também no século XX, com foco principal na Alemanha, onde ativistas criaram intervenções públicas contra a criminalização da homossexualidade. Julgados e associados a doenças e a condições de saúde, os grupos homossexuais passaram a ter atuação mais forte depois dos anos 1970, quando sua luta ganhou movimentos organizados e amplos em diversos países.

Foram criadas campanhas pela conscientização e pela busca da igualdade, além do surgimento de Organizações Não Governamentais focadas no respeito à diversidade de gênero. A causa passou a se expandir pelo mundo e ganhou espaço em meios culturais e de divulgação.

No nosso país, expressões musicais de grande relevância trouxeram o tema à tona, mesmo em períodos de grande repressão, como durante a Ditadura Militar. O uso de acessórios femininos por homens e o surgimento de jornais voltados ao público homossexual foram pequenas ações que começaram a mostrar a todo o país a importância de se falar sobre as diferenças de gênero.

Hoje, eventos como a Semana da Diversidade Sexual e as Paradas do Orgulho LGBT representam a força do movimento, que segue lutando por direitos e pelo fim da discriminação. A busca por mais respeito, porém, saiu dos limites dos livros de história e das páginas policiais, como nos séculos passados, e passou a ocupar um lugar de maior relevância no nosso dia a dia.

A liberdade para falar sobre diversidade de gênero é hoje uma das ações mais importantes defendidas pelo movimento LGBT. Muito ainda precisa ser conquistado e a luta pelo respeito segue caminhando por um caminho de grandes desafios. Cada um tem um papel relevante nesse movimento, seja defendendo o tratamento igualitário, participando de manifestações ou demonstrando mais respeito.

E, para quem quer participar mais ativamente da construção de um mundo mais justo e igualitário, a AIESEC conta com programas que te permitem atuar em ONGs pela igualdade de gênero ao redor do mundo. Entre em contato conosco e conheça as oportunidades de intercâmbio pelo programa Voluntário Global.

Leia também:

Cidadão Global: Destinos – Ásia
Por que fazer intercâmbio pra Polônia?
Meu pequeno manifesto direto do Panamá
Categoria: Sem categoria

Deixe um comentário

*



Somos a maior organização de estudantes do planeta, reconhecida pela Unesco. A AIESEC é uma rede global formada por jovens universitários e recém-graduados, que, por meio do trabalho dentro da organização e de intercâmbios profissionais, estimula a descoberta e o desenvolvimento do potencial de liderança de seus membros.