Que tal conhecer a Argentina?

Pero hay uma cosa que no puede cambiar… no puede cambiar de pasión

O trecho acima é de um dos melhores filmes do século XXI (que você vai descobrir lendo o texto) e consegue traduzir um pouco o orgulho de um país ferido economicamente, mas altivo culturalmente. O segundo maior país em território da América Latina e terceiro mais populoso da América do Sul (atrás de Brasil e Colômbia) é o tema do blog da AIESEC de hoje. Por quê? Porque trabalhar na Argentina é uma possibilidade real para estudantes que procurarem a AIESEC para o Cidadão Global, nosso programa de intercâmbio voluntário.

Mas, Argentina?

É comum sempre sonharmos em conhecer a Europa em nossas viagens. As grandes cidades, os castelos, teatros, museus, bares, pubs, baladas, pessoas, paisagens e etc. Esquecemos muitas vezes da riqueza da cultura da América do Sul, lugares que estão “perto” da gente e que são muito mais viáveis economicamente do que os europeus e os EUA, especialmente em um momento de desvalorização da nossa moeda.

A Argentina, ainda que atravesse uma crise financeira há anos, ainda pode ser considerada um pedacinho da Europa em nosso continente. Os estilos arquitetônicos e o cuidado especial com elementos e espaços culturais no país nos remetem às ruas do Velho Continente. Essa valorização do próprio patrimônio é o que faz a Argentina ter um IDH considerado muito elevado pela ONU, próximo do que é avaliado nos países economicamente mais desenvolvidos do mundo.

História

O nome do país vem do latim argentum, que significa prata. O adjetivo “prata”, ou “prateado” é argentinus. Em 1602, o poeta Miguel Del Barco Centenera referiu-se ao local pela primeira vez como Argentina. A referência à prata se deve ao apelido dado pelos colonizadores espanhóis aos nativos da região: rioplatenses, habitantes do “Rio da Prata”.

No século XIX, após conquistar sua independência da Espanha em 1816, a cultura argentina começou a ser influenciada pelos milhares de imigrantes que se mudaram para o país atrás de oportunidades. A maioria deles vieram de Itália e Espanha.

Crises políticas, golpes sucessivos e o mergulho em uma guerra desnecessária contra o Reino Unido pela soberania nas Ilhas Malvinas (ou Falklands) levaram a Argentina à bancarrota. O país, que no pós-guerra atingiu uma das maiores taxas de crescimento do mundo, viu sua economia ruir. Até hoje, a Argentina luta para se reerguer com solidez. O legado do passado abastado, no entanto, permanece.

Cultura

A Argentina sempre foi berço de expoentes da cultura latino-americana em todas as frentes. Teatro, Literatura, Cinema, Música e (claro) futebol são algumas das áreas nas quais muitos argentinos brilharam no século XX. Confira alguns exemplos da rica e orgulhosa cultura argentina:

Literatura

Entre centenas de escritores romancistas, cronistas e contistas, a Argentina se destaca também pelos poetas. O blog escolheu Juan Gelman (1930-2014), portenho, resistente às ditaduras que assolaram a Argentina no século XX, em especial a última, de 76 e 83.

Amor que serena, termina?

Amor que serena, termina?

Começa? Que nova

Velhice o espera para viver?

Qual fulgor? Amor surgindo

Leia mais sobre Gelman aqui.

Cinema

O ator e diretor Ricardo Darín é hoje a figura mais conhecida do cinema argentino. Entre várias outras obras, Darín protagonizou o espetacular O Segredo dos Seus Olhos, produção hermana que levou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2010 (de onde tiramos a citação que abre o texto). Confira o trailer:

E confira também uma entrevista imperdível de Darín ao brasileiro Eric Nepomuceno, apresentador do programa Sangue Latino, do Canal Brasil. Clique aqui.

Música

Falar de música argentina e não lembrar do marplatense Astor Piazzolla seria um pecado do mesmo tamanho do clichê que é citá-lo aqui. Perdoem o blog:

Futebol

Finalmente, a paixão primata que une os latinos pelo futebol é tão (ou mais) forte na Argentina quanto em qualquer lugar do mundo. Bicampeã do mundo e dona de 23 Copas Libertadores da América (a maior vencedora disparada), a Argentina é casa do clube que foi considerado pela Fifa como o maior campeão do século XX: o Boca Juniors, berço de ninguém menos que um tal de Diego Maradona.

A rivalidade entre Boca e River Plate é famosa no mundo todo e responsável por criar atmosferas na CANCHA como essa:

Cidadão Global

O programa de intercâmbio voluntário da AIESEC te oferece a oportunidade de conhecer a Argentina, trabalhar em obras sociais, enriquecer sua experiência, vivência e currículo e conhecer uma cultura diferente e, de certa forma, tão próxima da nossa. Saiba mais sobre o Cidadão Global neste e neste link.

Leia mais no blog da AIESEC:

Uma AIESEC no cerrado

Um homem precisa viajar (texto pelos colaboradores Luah Galvão e Danilo España)

10 motivos para conhecer a Hungria

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *