Compartilhe #Polônia

O Caio Sunaitis mostrou pra gente um pouco da Polônia. Com ele, descobrimos o quanto o Papa João Paulo II é adorado no país e que a Polônia não existiu como um país por 123 anos. E entre as histórias que ele viu e descobriu, ainda deu tempo para começar a sua própria. E no texto aí embaixo o Caio resume como foi sua experiência como intercambista voluntário.

“No tempo em que estou aqui na Polônia:

– Visitei quatro países diferentes (Holanda, Irlanda, Polônia – esse sim por um tempo razoável – e Alemanha);

– Conheci pessoas de 14 países (Sérvia, Egito, China, Hungria, Marrocos, Geórgia, Polônia, Irlanda, Alemanha, Ucrânia, Indonésia, Argentina, Austrália e Estados Unidos);

– Comi incontáveis tipos de pierogi (de carne a repolho azedo – não tentem este último!);

– Senti saudade dos meus pais, irmãos, amigos e namorada;

– Senti saudades de churrasco, de feijoada, de jogar futebol e das mais simples tradições brasileiras que nem paramos para dar valor;

– Me acostumei ao frio – e agora posso dizer que sei o que é frio!

– Me perdi e me achei sem entender a língua escrita nas placas!

– Vi que, sim, é possível ser muito feliz com um trabalho socialmente relevante – muitas vezes muito mais gratificante e satisfatório do que seguir uma carreira que não nos faz felizes e/ou não traz nada de relevante para as pessoas que nos cercam.

Enfim, é uma experiência rica e intensa, em todos os sentidos! E como posso resumir meu aprendizado até agora?

Através desse intercâmbio, eu venho aprendendo que existem vários tipos de amor: o amor pelo seu trabalho, o amor de mãe, amor de pai, amor de irmão, amor de namorado, amor de amigo, amor pela vida.

Mas se tem uma única coisa que é comum em todos esses tipos de amor é o seguinte: amor de verdade é aquele que sabe conviver com o desapego. Com a sensação de dizer adeus sem saber quando será o reencontro e simplesmente acreditar, confiar e sorrir sobre isso. E de alimentar esse amor, mesmo à distância. Isso se aplica a quaisquer dos ‘amores’ citados ali em cima. Portanto, se posso compartilhar em uma única palavra o que essa fantástica experiência do intercâmbio social na Polônia me trouxe, a palavra é essa: amor“.

Leia também:

2 comentários sobre “Compartilhe #Polônia”

  1. Eu amo viajar e agora com o AIESEC ficou fácil no intercambio voluntario venha fazer parte, eu adorei..ainda mais com minhas musicas preferidas no musicasinternacionais.org

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *