Habilidades que a AIESEC te dá e a faculdade não ensina

As universidades ensinam muito sobre habilidades e teorias, mas quando se trata de ser capaz de implementar as aprendizagens na prática, muitos jovens acham difícil. Isso também tem sido notado por muitos empregadores que dizem que os jovens estão perdendo as habilidades e competências necessárias em um ambiente profissional. É importante que os jovens saibam como gerenciar o tempo corretamente, se comunicar efetivamente em diferentes ambientes e possam enfrentar desafios quando confrontados. Mas, se as universidades não estão equipando os jovens com essas habilidades, eles precisam procurar em outro lugar para a experiência.

 

“Faltam aquelas competências que os americanos chamam de “soft skills”, como comunicar-se bem, avaliar o que cada um é capaz, montar e motivar uma equipe, além de uma série de outras coisas que levam à uma performance melhor”, diz Armando Dal Colletto, diretor acadêmico da Business School São Paulo.

 

Na AIESEC, percebemos a necessidade de melhores líderes no mundo e acreditamos que a liderança pode ser desenvolvida em qualquer pessoa. O modelo de desenvolvimento de liderança da AIESEC procura preparar a juventude para tomar uma posição sobre o que eles se preocupam e tornar-se capaz de fazer a diferença através de suas ações cotidianas. Acreditamos que, ao equipar os jovens com essas habilidades de liderança, eles estarão mais preparados para o futuro.

 

Todos os nossos produtos desenvolvem quatro pilares de liderança que estão relacionados às tendências mundiais atuais. Essas qualidades são self aware, world citizen, empowering others e solution oriented. Abaixo você pode ler como esses pilares de liderança são relevantes profissionalmente para os jovens.

 

     Self Aware

 

A diminuição da necessidade de líderes formais trouxe a necessidade de mais líderes conscientes. Um líder auto-consciente sabe em que ele é bom, o que é importante, sobre o que ele é apaixonado. Quando os jovens se conhecem, eles são capazes de tomar melhores decisões para suas carreiras também. Os jovens de hoje querem trabalhar para uma empresa que compartilha os mesmos valores que eles e que faz algo de bom para o mundo. Estar ciente de seus próprios valores e paixões os ajuda a escolher este tipo de organização e isso aumenta a retenção de funcionários. Além disso, um líder auto-consciente se concentra em suas forças sobre as fraquezas, tornando-os mais prontos para assumir novos desafios no trabalho, não deixando suas fraquezas retardá-los.

 

 World Citizen

 

Com a globalização, o mundo dos negócios tem cada vez menos fronteiras. No entanto, a globalização também trouxe uma nacionalização crescente em muitos países. É por isso que ser um cidadão do mundo é uma habilidade cada vez mais importante para se ter na vida profissional. Estar interessado nas questões do mundo, e especialmente assumir a responsabilidade de melhorar o mundo são essenciais para fazer negócios em um mundo globalizado. A AIESEC dá aos jovens a oportunidade de se desafiarem em outro país e entender que os problemas do mundo não se limitam a territórios. Eles são capazes de aprender sobre as pessoas e a cultura daquele país, tornando-os mais equipados para trabalhar com pessoas de diferentes origens. Isso não se aplica apenas a um local de trabalho internacional, mas a qualquer trabalho onde haja necessidade de trabalho em equipe e interagir com outras pessoas.

 

 Empowering Others

 

A qualidade de capacitar os outros é necessária para navegar no complexo e interconectado mundo moderno. Habilidades de comunicação são vitais para qualquer trabalho, já que as pessoas precisam ser capazes de se comunicar efetivamente em diversos ambientes para mostrar seus pontos de vista e opiniões de forma clara e evitar quaisquer chances de mal-entendidos. Também é importante que os jovens saibam como colaborar com outras pessoas para alcançar um propósito maior, por isso é um fator muito procurado pelas empresas jovens que saibam liderar e gerir um time. Por último, ao desenvolver a habilidade de capacitar os outros, os jovens poderão contribuir para o desenvolvimento pessoal dos outros e capacitá-los a agir. Isso significa que eles podem capacitar seus colegas de trabalho para alcançar maior e desafiar-se.

 

Solution Oriented

 

O ritmo acelerado do mundo moderno também o torna um lugar mais incerto, e os jovens precisam estar preparados para a mudança. Em vez de congelarem diante de um desafio, os devem mostrar flexibilidade e uma mente rápida para solucionar qualquer problema que surja. A incerteza de mudanças constantes pode parecer assustadora, mas ao permanecer positivo, um líder pode dirigir sua equipe para frente, apesar da incerteza que eles podem enfrentar. Isso exige a disposição para assumir riscos quando são necessários. Esta qualidade é muito importante em um ambiente de trabalho, como você nunca pode saber quais mudanças podem acontecer no dia seguinte, econômica ou politicamente. Um líder orientado para a solução não permite que falhas o atrapalhe, e sim uma oportunidade de levantar e continuar a lutar para o que está buscando.

 

Acreditamos que se desenvolvermos essas quatro habilidades em jovens, isso os tornará prontos para enfrentar os desafios do mundo. Eles também serão capazes de transformar as teorias e conhecimentos que aprenderam na universidade em prática.

 

Deseja passar por um estado de desenvolvimento como esses? Clique aqui!

Wallace Gomes da Costa

Como a páscoa é comemorada em outros países

A Páscoa é uma época cheia de tradições e em muitos países não se resume apenas em ovos de chocolate e no famoso coelhinho, mas também em liturgias, procissões, almoços em família e cordeiro. Embora existam elementos em comuns, as tradições agregam características de cada cultura e região.

No mundo, existem diferentes simbologias ligadas a essa data. O ovo aparece como representação de fertilidade em diversos países – e nem sempre é de chocolate. Outros símbolos conhecidos são o sino e o coelho.

Índia

Nos destinos indianos, onde o hindu é praticado, a festa ganha detalhes únicos, encontrados apenas no país. Em vez da páscoa, tal qual como conhecemos, na Índia é comemorado o festival Holi. A data é marcada para relembrar o nascimento do deus Krishna.

Garantindo um mergulho cultural incomparável, o país todo se reúne para dançar, tocar flautas e outros instrumentos musicais, preparando ainda verdadeiros banquetes com comida e pratos típicos, ou seja, uma oportunidade única para saborear a exótica culinária indiana. Outra marca da festa é a presença dos elefantes que recebem pinturas especiais pelo corpo. E não pense que a arte fica restritas aos animais. Os anfitriões marcam a testa de seus convidados com um pó colorido. Hoje em dia, o pó toma conta das ruas, enchendo de cor ruas, lugares e pessoas.

 

Polônia

Na Páscoa da Polônia, a tradição diz que o dono da casa não pode ajudar a preparar o famoso “Pão de Páscoa”, pois caso contrário seu bigode ficará cinza e a massa irá desandar. Há quem diga que esta seja apenas uma boa jogada de marketing das padarias polonesas, mas por via das dúvidas nenhum bigodudo costuma arriscar…

Grécia

A Páscoa tem uma diferente tradição na Grécia, em que ovos vermelhos (simbolizando o sangue de Jesus) são distribuídos entre os convidados (geralmente a família), que devem encostar no ovo de outro convidado até rachá-lo. Reza a lenda que o último a ter seu ovo rachado terá bastante sorte e fartura no ano seguinte.

Alemanha


O alemão Volker Kraft decorou uma árvore com cerca de 9.200 ovos de Páscoa, no jardim de sua casa

A Páscoa alemã celebra tanto o feriado cristão quanto a chegada da primavera. Tradicionalmente, as árvores são enfeitadas com ovos coloridos. Uma curiosidade: apesar de muitas pessoas terem abandonado a tradição, um senhor de 76 anos chamado Volker Kraft colecionou 10 mil ovos ao longo da vida e, todos os anos, os pendura em uma macieira em seu jardim.

Ucrânia

A tradição mais forte é a decoração de ovos com os quais serão presenteados amigos e parentes. A tradição diz que, se as crianças forem bem comportadas na noite anterior ao domingo de Páscoa e deixarem um boné de tecido num lugar escondido, o coelho deixará doces e ovos coloridos nesses ‘ninhos’.

Aproveite os outros feriados em outros cantos do mundo! Clique aqui e saiba como!

Wallace Gomes da Costa

Já imaginou um intercâmbio interplanetário?

Já parou para pensar que daqui um século (ou mais) as pessoas poderão viajar para outros planetas? Segundo a cientista-chefe da Nasa, Ellen Stofan, teremos registros de alienígenas que vivem em outros planetas até 2025. Agora imagine como seria fazer um intercâmbio profissional ou voluntário em outro planeta? Incrível, não?

Stofan disse que serão encontrados sinais de vida fora da Terra em até 10 anos, e provas definitivas disso em até 20 anos. “Nós sabemos onde procurar. Então sabemos como procurar”, falou, em um debate transmitido na Nasa TV sobre a possibilidade de encontrar outros “mundos habitáveis”.

 

E de acordo com os Ufólogos mais renomados dos planetas, existem diversos tipos de raças de alienígenas. Cada uma com suas características únicas e comportamentos totalmente diferentes. Muitos deles já foram utilizados em filmes, desenhos e histórias, e provavelmente você já deve ter ouvido falar.

 Os Reptilianos

 

Os Reptilianos são definidos como uma raça de humanóides répteis, são um tema comum em obras de ficção científica, fantasia, ufologia e teorias de conspiração. São denominados por muitos termos dependendo do contexto, incluindo – Homens cobra, Reptóides ou Draconianos.

 

Dizem que atualmente os reptilianos não tem mais planeta natal, e que andam pelo universo dominando outras raças (atualmente a humana) enquanto não acham um planeta que seja ideal para seus corpos. Bom, pensando que eles já tenham sua casa própria (amém) daqui alguns séculos, provavelmente o lugar será bem instável.

 

Em algumas horas do dia será muito frio, em outras, muito quente. Isso porque eles não conseguem manter a temperatura do corpo estável. A temperatura desses animais varia de acordo com a do ambiente. Quando querem se aquecer, expõem-se ao calor. Quando estão muito quentes e precisam se resfriar, procuram lugares frios.

 

Prepare suas melhores roupas de inverno/verão para conhecer esse planeta!

 

 Os Greys

 

Provavelmente é a raça mais famosa de todas. Segundo a Ufologia, os greys são seres extraterrestres que possuem como características principais baixa estatura, tendo a média de 1,30 metros (não deixe pra comprar roupas lá!), cor da pele variando entre acinzentada a amendoada, olhos grandes e negros, boca e narina fina, corpo desproporcionalmente pequeno e raquítico com relação ao tamanho da cabeça e mãos como garras com três ou quatro dedos. Os Greys seriam naturais do sistema Zeta Reticuli.

 

Os Greys são uma raça que tem quatro estômagos. Exatamente! Então prepare-se, quando conhecer o planeta deles saiba que voltará com alguns quilos a mais. Também é considerada a raça mais avançada na construção, inovação e criação de naves. Não há engenharia melhor que a deles em todo a galáxia! Por isso, se for fazer algum intercâmbio profissional relacionado a tecnologia, não pense duas vezes.

 

  Os Anunnaki

E.T.jpg

 

A palavra Anunnaki vem da língua suméria e significa “aqueles que vieram do céu”. Os Anunnakis são extra-terrestres vindos do planeta Nibiru e que criaram a raça humana como ela é hoje. Eles também são os responsáveis por todo o conhecimento científico do povo Sumério.

 

Os Anunnaki têm um grande problemas com comparecer aos eventos marcados. Esperamos eles nos supostos fim do mundo dos anos 2000 e 2012 e até hoje nada. Por isso, tenha em mente de que se marcar de sair com um deles, talvez não cheguem nunca, ou se chegarem talvez seja alguns anos depois. E se prepare para viajar! Nibiru é maior que Júpiter! Um planeta muito grande e com uma vasta paisagem. É muito lugar pra conhecer!

 

Achou interessante? Enquanto esse dia ainda não chega, faça seu intercâmbio aqui na Terra mesmo! É fácil, é só clicar aqui!

Wallace Gomes da Costa

Logan: Um exemplo de liderança

O mais enaltecido mutante da equipe dos X-Men nos cinemas, o Carcaju – Famoso canadense Wolverine, está de volta às telonas para seu último filme. Com atuações épicas e dignas de premiações, Patrick Stewart rouba a cena como um Professor Xavier que tem a mente mais poderosa do mundo mas com seus poderes debilitados, tornando-se um perigo a todos. Também a menina Dafne Keen é um achado e, mesmo muda durante metade do filme, trás uma atuação espetacular como X-23 e com sua pouca idade realiza as cenas do filme de forma memorável.

A saga do mutante infelizmente chega ao fim. Na sua última trama das telonas a Fox conseguiu acertar na dose correta um filme que representasse completamente o personagem em suas diversas faces. Um filme de super herói que com apenas enredo e história leva o público ao delírio, deixando os “super poderes” como um detalhe e não uma necessidade para fazer esse maravilhoso filme estilo “road trip” acontecer, como geralmente é visto nos últimos filmes. Assim nos despedimos de Logan, e por isso selecionamos alguns mutantes das histórias dos X-Men que talvez você não soubesse que são de outros países e outras culturas. Veja só:

Tempestade – Egito

Ororo Munroe

Ororo Munroe cresceu órfã na cidade do Cairo após um acidente aéreo com seus pais. Ela é descendente de uma antiga linha de sacerdotisas africanas. Todas têm cabelos brancos e olhos azuis. Foi convocada para os X-Men depois que o Professor Xavier teve conhecimento de sua existência através do cérebro, e assim deixou de lado a África e seu povo para ajudar a equipe. Sua primeira aparição foi em Maio de 1975 nas HQs.

 

Uma mutante nível ômega, sendo uma das mais poderosas da Marvel. Tem o domínio elemental da natureza (pirocinese, aerocinese, eletrocinese). Ela é capaz de manipular a energia de tempestade, tormentas e ventos, para intimidar ou derrotar os inimigos com a força dos fenômenos atmosféricos relativos ao ar. Assim, utilizando-o a seu favor para poder voar.

 

Mancha Solar – Brasil

Sunspot

Roberto Da Costa foi criado em 1982 foi o primeiro personagem brasileiro da Marvel Comics.
Ele nasceu em Minas Gerais e manifestou suas habilidades mutantes pela primeira vez num jogo de futebol.

É um mutante nível Ômega, com o poder de absorver e converter energia solar em força e resistência sobre humana. É capaz de voar e emitir rajadas de plasma super-aquecido. Quando ativa seus poderes, seu corpo se envolve em chamas “negras” e seus olhos se tornam flamejantes. Sua força aumenta a medida que absorve mais energia solar, o que também aumenta seu poder de projetar calor e luz, e o torna quase invulnerável.

 

Vampira – Mississipi

Vampira Mutant

Sua primeira aparição foi em 1981 e seu nome de batismo é Anna Marie. A jovem fugiu de sua casa no interior do Mississipi após a primeira manifestação de seus poderes, quando em beijou um garoto chamado Cody Robbins e sua mente foi invadida pelas memórias do rapaz, que entrou em coma permanente. E durante a fuga acabou adotada pela metamorfa Mística.

 

Através do contato físico, Vampira rouba a energia vital, as memórias e as habilidades, físicas e mentais, normais ou especiais, que a vítima possua, além dos seus super-poderes e alguns traços de personalidade. O efeito da transferência é, normalmente, temporário, escoam-se as características absorvidas e a vítima volta ao normal, mas contatos prolongados podem causar o dreno permanente e até levar à morte a pessoa que recebeu o toque.

Gambit – França

Mutant

Gambit cresceu órfão nas ruas da França, e para sobreviver se tornou parte de gangues francesas, onde usava seu poder a seu favor. Ele pode dominar a aceleração molecular.

Funcionando assim: ele pega a energia potencial de um objeto, e a transforma em energia cinética, carregando o objeto, com resultados explosivos. Quanto maior e mais pesado o objeto, mais demorada é a carga e o tamanho da explosão.

Uma da marcas registradas do francês Gambit é o arremesso de cartas de baralho em seus oponentes, sendo a Dama de Copas sua carta favorita, carregando cada carta e as transformando em armas letais. Porque são fáceis de atirar e levam pouco tempo para uma carga completa. Também é adepto da arte marcial francesa Savat, o que o torna um mutante excepcional.

 

Magneto – Polônia

Erik Magnus Lehnsherr foi perseguido junto com sua família, por serem de origem judaica. Após ver todos seus familiares serem mortos, foi mandado para o campo de concentração de Auschwitz.

Em um hospital em Isarel, Magnus conheceu o Professor Charles Xavier. Os dois se tornaram aliados, com frequentes discussões sobre o rumo que os mutantes deviam ter… Não demorou muito para se separar de Charles por terem visões conflitantes. Assim passou a assumir o nome de Magneto. Desde então, ele abandonou a crença na humanidade, passando a acreditar que somente dominando-a os mutantes poderiam ter alguma chance de sobreviver.

 

Magneto possui o poder de manipular qualquer tipo de metal, inclusive Vibranium e Adamantium. Ele tem o controle do magnetismo e de campos magnéticos, com isso ele cria campos de força eletromagnéticos, pode literalmente desligar a gravidade em volta de si isso lhe permite voar a distâncias e velocidades razoáveis

Sabia que em quase todos esses lugares onde nasceram os mutantes existem trabalhos sociais a se fazer? Você não precisa de super poderes para lutar pela humanidade. Aproveite a chance! Clique aqui!

Wallace Gomes da Costa