jovem líder na neve

Aventuras de um brasileiro na Ucrânia – Parte I

  |  Postado por: AIESECo do Blog 16 de maio de 2017

Empreendedor Global. Kiev. Capital da Ucrânia. Cidade muito movimentada. Rápida. Dinâmica. Moderna, mas ao mesmo tempo histórica. O primeiro contato foi surpreendente. Imagina você chegar num país do outro lado do mundo, com uma cultura, um modo de pensar e uma língua que praticamente só usa consoantes? Imaginou? Ah, imagina também um frio intenso. Ok vou te dar uma ideia: -21 º Celsius.

As expectativas não são lá tão grandes, ou você até cria estereótipos, do tipo: Os ucranianos devem ser muito rudes, com aquela voz forte parecem querer mandar você para aquele lugar a todo momento… Mas é aí que entra a beleza de se permitir. De se permitir viajar e explorar um “ novo mundo”. É aí que entra a arte da troca. Troca de ideias, mindsets, culturas, olhares, sentimentos, e até pessoas. E foi nesse momento que eu tive a experiência, logo no começo, de perceber que os ucranianos são bem diferentes do que eu imaginava. São ETs? Não, né.

Vou te contar uma história: Era uma terça ou quarta. Primeiros dias na Ucrânia. Estava com um grupo de intercambistas no ponto de ônibus. Estavamos esperando o transporte para ir para o primeiro dia de projeto com a AIESEC. Aquele frio intenso! O bendito ônibus chegou: Amarelo, pequeno, compacto, mas era daqueles ônibus igual coração de vó: sempre cabe mais um.

O processo para pagar  já foi bem desafiador. Lá não tem trocador, então você tem que se comunicar com o motorista, dizer aonde vai e ele lhe diz o preço da passagem. Achei bem mais democrático do que o esquema aqui no Brasil. Quem vai mais longe paga mais. Depois de muita mímica, Google Translator e malabarismo, conseguimos a passagem. Amém, Senhor! E é aí que vem algo inesperado… Estava todo mundo descontraído, conversando, quando de repente eu recebo um dinheiro na minha mão. Parei e olhei pro cara que me deu o dinheiro. Eu tava numa comemoração interna intensa. Primeiro dias na Ucrânia e recebendo dinheiro assim de graça! Meu Deus, estou no lugar certo! Fiz um sinal e nada… Demorei cinco segundos para descobrir que  deveria passar o dinheiro até chegar no motorista, e assim pagar a passagem.  E ainda recebi o troco. Me senti como uma conta de banco. É super normal isso por lá. Você dá o dinheiro para a pessoa do seu lado para ela passar pro motorista lá na frente e ele dá o troco e isso vai passando de mão em mão novamente até o destinatário. Ah, esqueci de explicar: As pessoas podem entrar pela porta de trás do ônibus, por isso rola esse tipo de coisa.

Tudo isso serviu pra mostrar  para mim, logo de cara, como os ucranianos confiam uns nos outros. Não demorou muito para que eu percebesse quão amigáveis, prestativos e sorridentes eles são. A Ucrânia foi bem marcante mesmo. Independente de gênero, homens e mulheres eram muito atenciosos! Não imaginava isso deles… Tantas outras coisas que nem tinha ideia que poderiam ser diferentes foram quebradas por esse intercâmbio. Tantos estereótipos foram quebrados… Apesar de, bem no fundo, ainda achar que eles tomam vodka no café da manhã. Só pra dar aquela acordada…

Essa foi apenas uma das situações que eu considerei incrível e inusitada. Ainda tem muitos outros lugares e experiências para contar. Fica ligado que já já a história continua. Não aguenta esperar e quer saber mais sobre a experiência de Empreendedor Global? Clica aqui!

Leia também:

Vivendo desafios e descobrindo a Índia
Animais Fantásticos e Onde Habitam
Estou pensando em fazer um intercâmbio, e aí?
Categoria: Sem categoria

Deixe um comentário

*



Somos a maior organização de estudantes do planeta, reconhecida pela Unesco. A AIESEC é uma rede global formada por jovens universitários e recém-graduados, que, por meio do trabalho dentro da organização e de intercâmbios profissionais, estimula a descoberta e o desenvolvimento do potencial de liderança de seus membros.