Quem já teve a experiência pela AIESEC, recomenda

Conheça o que dois intercambistas da AIESEC falaram sobre a experiência em outro país.

Mateus Nagel – Senegal

“Meu nome é Mateus Nagel, estudo Administração na UFSM, e nas férias de verão de 2009-10 fiz um intercâmbio social pela AIESEC Santa Maria à Dacar, no Senegal.

Passei 2 meses lá atuando no YES Project (Jovens Empreendedores), e foi uma experiência sensacional. Ter participado da gestão desse projeto foi muito marcante, além de ter ficado em casa de família muçulmana (hábitos e costumes bem diferentes) e praticar o idioma francês, oficial do país.

Sou muito grato a minha família brasileira e senegalesa, meus amigos senegaleses e aos escritórios da AIESEC UCAD e AIESEC SM, por terem me auxiliado a passar por esse fantástico e inesquecível intercâmbio”

Betânia Muller – Sérvia


“Meu nome é Betânia Muller, tenho 20 anos e fiz um intercâmbio de férias na Sérvia pela AIESEC. Um intercâmbio não é algo que dê pra descrever,  é algo que tem que ser vivido. Conhecer todas essas pessoas e lugares que conheci é uma experiência única!

E fica a dica galera, façam um intercâmbio, é a maior experiência de auto conhecimento que uma pessoa pode ter,  pois não temos nossos melhores amigos e família por perto, não temos aquela mesma segurança e ai que a gente vai atrás de coisas que  não se  ia antes e percebe o quanto vc precisa das pessoas, mesmo que sejam totalmente diferentes, aprende a conviver com elas e a aceita-las. Viver aqui é muito intenso, há altos e baixos, mas principalmente as lições que estou tirando dessa experiência tenho certeza que jamais tiraria se estivesse na minha cidade, rodeada das mesmas pessoas e me orgulho de estar mudando e aprendendo com adversidade”.

Você também pode viver essa experiência. Seja um Cidadão Global! Inscrições: http://bit.ly/bMf6VW

Você está preparado para o mercado global?

Na edição de julho da revista Você/SA foi publicada a matéria “Cabeça Global” que basicamente fala sobre uma nova demanda que o mercado de trabalho exige: profissionais com habilidades globais, ou seja, capazes de entender as várias visões de mundo e se relacionar com parceiros, clientes e funcionários internacionais.

A matéria traz uma lista de cinco características essenciais que um profissional deve ter:

1 Vontade de aprender
2 Capacidade de comunicação
3 Paixão por diversidade
4 Capacidade de adaptação
5 Habilidade para engajar

Essas habilidades são apontadas em uma pesquisa orientada pelo professor Mansour Javidan, da escola de negócios americana Thunderbird School of Global Management. A pesquisa foi desenvolvida com cerca de 5000 gerentes de diversas partes do mundo e buscou entender o que é esse conjunto de habilidades, chamada de mentalidade global. A seguir, um trecho da matéria que demonstra um pouco do que o novo mercado busca:

“O professor Mansour Javidan explica a complexidade: “Não é fácil tentar ver o mundo pelos olhos dos outros”. A conexão só acontece quando o profissional entende quase completamente qual é a visão de mundo de um estrangeiro, habilidade que, infelizmente, não pode ser desenvolvida dentro das salas de aula ou auditórios de treinamento. “Esse tipo de conhecimento só se adquire na prática”, garante”.

Veja a matéria na íntegra aqui: http://bit.ly/bjTPD4

Para desenvolver essas habilidades, que tal um intercâmbio onde você pode viajar para um destino diferenciado, vivenciar novas experiências, trabalhar como voluntário e fazer a diferença no mundo?
Viver a diversidade e ter a capacidade de se adaptar às mais diversas culturas é ser um Cidadão Global.

Faça aqui sua inscrição para o intercâmbio que realmente te prepara para o mercado: http://bit.ly/bMf6VW

Você está preparado para o mercado global?

Na edição de julho da revista Você/SA foi publicada a matéria “Cabeça Global” que basicamente fala sobre uma nova demanda que o mercado de trabalho exige: profissionais com habilidades globais, ou seja, capazes de entender as várias visões de mundo e se relacionar com parceiros, clientes e funcionários internacionais.

A matéria traz uma lista de cinco características essenciais que um profissional deve ter:

1 Vontade de aprender

2 Capacidade de comunicação

3 Paixão por diversidade

4 Capacidade de adaptação

5 Habilidade para engajar

Essas habilidades são apontadas em uma pesquisa orientada pelo professor Mansour Javidan, da escola de negócios americana Thunderbird School of Global Management. A pesquisa foi desenvolvida com cerca de 5000 gerentes de diversas partes do mundo e buscou entender o que é esse conjunto de habilidades, chamada de mentalidade global. A seguir, um trecho da matéria que demonstra um pouco do que o novo mercado busca:

O professor Mansour Javidan explica a complexidade: “Não é fácil tentar ver o mundo pelos olhos dos outros”. A conexão só acontece quando o profissional entende quase completamente qual é a visão de mundo de um estrangeiro, habilidade que, infelizmente, não pode ser desenvolvida dentro das salas de aula ou auditórios de treinamento. “Esse tipo de conhecimento só se adquire na prática”, garante.

Veja a matéria na íntegra aqui: http://bit.ly/bjTPD4

Para desenvolver essas habilidades, que tal um intercâmbio onde você pode viajar para um destino diferenciado, vivenciar novas experiências, trabalhar como voluntário e fazer a diferença no mundo?

Viver a diversidade e ter a capacidade de se adaptar às mais diversas culturas é ser um Cidadão Global.

Faça aqui sua inscrição para o intercâmbio que realmente te prepara para o mercado:

Visões de quem conhece o intercâmbio da AIESEC

Já falamos aqui sobre a importância de realizar um intercâmbio diferenciado como o programa Cidadão Global da AIESEC. Agora, apresentamos duas opiniões (uma de quem conhece o trabalho da organização e outra de quem fez um intercâmbio pela AIESEC).  Em ambas, podemos perceber o desenvolvimento que o intercâmbio oferece, tanto para o crescimento pessoal, quanto para um diferencial competitivo no mercado de trabalho.

“Conheci a AIESEC há 5 anos e a convite desta, disponibilizei-me a orientar a carreira dos jovens que atuam na Liderança Nacional da AIESEC Brasil. Acompanho de perto intercâmbios de vários jovens, ao longo deste tempo. A experiência gerada pela AIESEC proporciona ampliação de visão, de posicionamento no mercado global e a oportunidade de conexão a uma rede global de Parceiros – Empresas e Instituições, stakeholders e comunidade de jovens líderes.

Como diferencial para o mercado, os jovens desenvolvem competências-chave como liderança, diversidade, visão global, gestão de recursos, gestão do conhecimento, inclusividade, adaptabilidade às diferentes culturas, entre outras, em ciclos de tempo relativamente curtos, possibilitando-lhes aprendizagens e conexões do conhecimento acadêmico à vida prática, seja focado no mundo corporativo, no empreendedorismo ou em projetos sociais/ educacionais. Isto gera atratividade e inserção destes jovens junto aos parceiros Globais e Nacionais, considerando os fatores tempo, demanda do mercado e redução do custo de investimento em programas de trainees, entre outras vantagens. A estrutura global da AIESEC, presente em 100 países, é única e garante aos jovens experiências estruturadas. Como Coach e Educadora, eu recomendo”.

Wilma Morais
Executive Coach há 20 anos, atuando no meio corporativo através da empresa Holos Instituto de Desenvolvimento Humano

“Há 30 anos atrás fiz meu primeiro intercâmbio pela AIESEC, na Dinamarca. Essa primeira experiência, e as outras que se seguiram me transformaram no que sou hoje. Fiz estágio na Dinamarca e na Alemanha, alem de passar uns 6 meses visitando aiesecos pela Europa. Inclusive ajudando a AIESEC Internacional naquela época em Bruxelas com os cartões de computador para o Congresso Internacional. Foram 5 anos intensivos de AIESEC.

Hoje sou sócia da Grant Thornton Brasil – empresa de auditoria, consultoria, contabilidade. Faço desenvolvimento de novos negócios e o relacionamento com o exterior. Foi a AIESEC que me deu as ferramentas para chegar aqui. Interagir com outras culturas, ser tolerante, respeitar, ser flexivel, ser aberta para o mundo, falar outras linguas, ser crítica e profissional, planejar, estabelecer prioridades, se dedicar a causas que acredito, e construir um network mundial (mesmo hoje depois de 30 anos!). Semana passada estive em uma conferencia internacional da organização profissional onde trabalho. Foi uma semana de networking intensivo, que só foi possível pelo treinamento que obtive com a AIESEC. Entender, respeitar e poder se relacionar, e formar um time com pessoas de outras raças e culturas só é possível se você tem um treinamento anterior e a AIESEC experience é a estrutura que me proporcionou isso. Sou o que sou, por ter feito aquele curso em 1979! E o primeiro estágio em 1980. Vale à pena!“.

Madeleine Blankenstein
Sócia da Grant Thornton Brasil – empresa de auditoria, consultoria, contabilidade

E aí? Pronto para se desenvolver habilidades essenciais para o mercado de trabalho? Seja um Cidadão Global!

Faça já sua inscrição: http://bit.ly/bMf6VW

Qual é o meu destino?

Esta semana você já conheceu o Programa Cidadão Global, viu as experiências que um intercâmbio pode trazer para sua vida e o desenvolvimento que ele pode te proporcionar. Viu também que desenvolver valores como empreendedorismo, liderança e responsabilidade social pode ser um grande diferencial para o seu currículo.

Durante a semana você ainda vai ver por aqui mais depoimentos de cidadãos globais e artigos com “Novas visões” sobre o intercâmbio, tão buscado por universitários ou recém formados. Mas se você já está convencido de que fazer a diferença em projetos espalhados pelo mundo está nos seus planos e sua dúvida já está em que país escolher, temos um convite para fazer.

Esta semana lançamos em nosso perfil no Facebook o Quiz “Para qual lugar farei meu intercâmbio? #cidadãoglobal”. Indonésia, Polônia, Rússia, Ucrânia ou Turquia. Qual será o destino ideal para você? Conhecer o país islâmico mais populoso do mundo com paisagens paradisíacas? Impactar uma sociedade recheada de histórias e nacionalidades diferentes? Fazer a diferença em berços da história do leste europeu ou em cenários milenares de tirar o fôlego?

Além de divertido, o Quiz pode te ajudar a definir o seu destino. Então? Malas prontas? Preparado para ser um Cidadão Global?

Acompanhe a AIESEC Brasil através do Blog, Twitter e Facebook e divulgue para seus amigos!

Participe do Quiz clicando aqui.

Cidadão Global – Rússia

“Desenvolvi muito minhas habilidades e técnicas profissionais, bem como a percepção de diferentes cultural e outros concepções de mundo, o que me fortaleceu como um representante global.”

Essa frase é do Cidadão Global Gianfranco Morbini. De Florianópolis, ele foi para a capital do estado da Sibéria, Novosibirsk, onde trabalhou em um projeto cultural para  crianças russas.

Saiba como foi o intercâmbio do Gianfranco:

Nome: Gianfranco Morbini

Destino: Novosibirsk, Rússia

Como foi a experiência?

“Através da AIESEC participei do Programa Cidadão Global realizado em Novosibirsk, capital da Sibéria, Rússia. A experiência foi demais! Fui super bem recebido pela AIESEC da cidade. Me prestigiaram com um colar feito com argolas de pão (uma espécie de tradição local) e promoveram integrações com os demais intercambistas de outros países.

O grande primeiro desafio foi o idioma, uma vez que não é nem próximo do nosso bom e querido português. Foram desenvolvidas atividades como aulas de português, cooperação em aulas de inglês com um polonês, aulas sobre cultura brasileira, apresentações de dança, participação em conferência entre camps e aplicação de dinâmicas com crianças de várias idades (entre 6 e 16 anos), bem como com grupos de monitores.”

Por que ser um Cidadão Global?

Os resultados são surpreendentes. Desenvolvi muito minhas habilidades e técnicas profissionais, bem como a percepção de diferentes cultural e outros concepções de mundo, o que me fortaleceu como um representante global.

Recomendo essa experiência para qualquer estudante que tenha sede de desafios, que esteja pronto para enfrentar adversidades e uma outra realidade – a fim de fazer a diferença.”


Quer ser um Cidadão Global? Faça aqui sua inscrição: http://bit.ly/bMf6VW

Comer, rezar, amar e…viajar

Você já assistiu ao filme ou leu o livro Comer, Rezar e Amar (Eat, Pray, Love: One Woman’s Search for Everything Across Italy, India and Indonesia)? Para quem não conhece, a narrativa é uma autobiografia da escritora americana Elizabeth Gilberth, que após o divórcio, decide viajar a três países. Seria Gilberth uma Cidadã Global?

Atenção, alguns trechos contém spoilers.

Quando a autora decide viajar, está em uma fase complicada de sua vida, cercada de incertezas. Ela vê a oportunidade ideal para descobrir novos lugares e, através disso, aproveitar os momentos consigo mesma. Na Itália, ela se dedica ao verbo comer, na Índia, rezar e na Indonésia, amar.

Uma das causas da inquietação de Elizabeth era, segundo a escritora, a falta de autoconhecimento. Como a própria palavra já explica, isso tem relação com o conhecimento e o observação que o indivíduo tem de si mesmo: seus limites, suas vontades, suas ambições, seus valores.

E o que isso tem a ver com os 3 intercâmbios? De acordo com o filosófo Jiddu Krishnamurti, as pessoas desenvolvem essa virtude de duas maneiras.

“A primeira é aprender acumulando conhecimentos e, com eles, observar; isto é, observar através do crivo do passado. Observo-me, tenho experiências, acumulo conhecimentos derivados dessas experiências; olho-me através dessas experiências, isto é, olho-me mediante o passado. Essa é uma das maneiras de aprender. A outra maneira é observar o movimento de todos os pensamentos, de todos os ‘motivos’, e jamais acumular. Por conseguinte, este aprender é um processo constante.” – Trecho do livro “O novo ente humano”, de 1971.

Quando a escritora deixou sua terra natal e partiu para explorar locais pouco conhecidos, ela foi obrigada a vivenciar outra realidade.  Na Índia, ao presenciar a cerimônia de um casamento, que seguia as tradições locais, a protagonista relembra seu próprio matrimônio – agora, de uma maneira diferente. Aos poucos, ela começa a entender o que realmente deseja e quem realmente é.

Ao experimentar a diversidade cultural em seus “intercâmbios”, a autora volta para casa com uma nova visão sobre o mundo e sobre si mesma. Eunice Brito, em artigo no portal “Mercado Ético”,  relata o impacto do autoconhecimento na convivência humana.

Em “O Homem e Suas Viagens”, Carlos Drummond de Andrade pergunta: estará o homem equipado para a dificílima viagem de si a si mesmo, descobrindo em suas próprias inexploradas entranhas a perene e insuspeitada alegria de “con-viver”? Essa é a incrível viagem. A viagem do conhecimento de si mesmo.

Qual a importância das palavras do poeta? “A viagem de si para si, ao contrário de acarretar o isolamento ou alheamento, nos permite enxergar em nosso interior todas as virtudes e defeitos da espécie humana. Assim, convivemos com os outros sem a necessidade do julgamento, porque nos reconheceremos reciprocamente. Nos tornamos mais compreensivos e podemos criar uma verdadeira comunhão com nossos semelhantes. A simbiose entre universo e seres humanos passa necessariamente pelo encontrar a si mesmo.”

Pronto(a) para a viagem que vai mudar sua vida?

Quer ser um Cidadão Global? Faça aqui sua inscrição: http://bit.ly/bMf6VW

Faça a diferença para o mercado de trabalho

Se você vai se formar em breve ou é recém formado, provavelmente deve estar se preparando para enfrentar uma maratona de processos seletivos, trainees e entrevistas. E a primeira dúvida que surge é: “Mas afinal, o que o mercado espera de mim?”. Hoje o mercado exige profissionais completos: tem que ser bom de inglês e, se possível, outra língua como espanhol ou francês, ter feito estágios significativos e ter diversas experiências no currículo. De preferência, experiências de liderança, que proporcionem novas visões de mundo, estímulo ao empreendedorismo e trabalho voluntário.

Com tanta concorrência no mercado, se destaca quem tem o chamado diferencial. E hoje, a Responsabilidade Social é um desses diferenciais mais procurados. É o que confirma o consultor na área de responsabilidade social, e comentarista da TV Cultura, Ricardo Voltolini.

“O que antes era uma atividade de gratificação íntima, quase existencial, transformou-se em diferencial no mercado de trabalho cada vez mais valorizado por empregadores. Irônica e paradoxalmente, ser cooperativo tornou-se uma vantagem competitiva. Quanto mais incorporam práticas de responsabilidade social, mais as empresas desejam ter em seus times gente de valor e de valores, competente, mas íntegra, competitiva, porém ética”, explica Voltolini. (para ler o texto na íntegra, acesse: http://bit.ly/bxp71G)

Não dá mais para ignorar a força da Responsabilidade Social nas empresas. O melhor de tudo é que investir em trabalhos de cunho social para ganhar um currículo diferenciado não é a única vantagem. Com um trabalho voluntário, quem mais ganha em aprendizado e crescimento pessoal é o próprio voluntário.

E que tal então unir o útil ao agradável? Nossa proposta é que ao mesmo tempo em que você pratique o inglês ou o espanhol e vivencie uma nova cultura em um intercâmbio, você também faça a diferença no mundo. Como? Sendo um Cidadão Global!

Nesse programa de intercâmbio você pode exercer algum tipo trabalho voluntário que contribua para a cultura local e incentive a interação e o aprendizado entre os países.  Quer saber mais como funciona e fazer as inscrições? É só clicar aqui.

O mercado quer profissionais diferenciados. O mercado quer um Cidadão Global.

Cidadão Global – Ucrânia

“Hoje o mercado busca um profissional que tenha uma mente equilibrada e o intercâmbio ajuda muito nessa parte.”

Essa frase é do Cidadão Global Daniel Rossetto. Durante seis semanas ele viveu novas experiências na Ucrânia, dando aulas para crianças e adolescentes. Atualmente Daniel  cursa Administração e é vice-presidente de duas áreas da AIESEC Chapecó: Comunicação e Out-Going Exchange.

Saiba como foi o intercâmbio do Daniel:

Conheça mais sobre a experiência do Daniel no blog http://worldbydanielrossetto.blogspot.com/.

Quer ser um Cidadão Global? Faça aqui sua inscrição: http://bit.ly/bMf6VW

Faça da sua experiência um diferencial

Fazer um intercâmbio está nos planos de grande parte dos universitários ou recém formados atualmente. As justificativas são as mais variadas: buscar experiência profissional, vivência em outro país, aprimorar uma língua estrangeira, conhecer culturas diferentes.

Culturas diferentes. Quando você pensa em intercâmbio, quais são os primeiros países que vêm a sua cabeça? Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, Portugal, Espanha?  São culturas realmente diferentes da sua? Já pensou em ir para a Rússia, Indonésia, Ucrânia, Polônia ou Turquia?

O desenvolvimento pessoal também está na pauta de interesses. O crescimento, a independência, a experiência de estar sozinho num país de língua estrangeira e costumes totalmente diferentes dos seus. Utilizar o intercâmbio como estratégia de crescimento pessoal pode ser um diferencial para a sua vida e para sua carreira. Afinal, mais do que treinar seu inglês ou espanhol, você estará ampliando sua visão de mundo ao entrar em contato com pessoas e costumes realmente desconhecidos, podendo, através do seu trabalho, ajudar aquela sociedade.

“Escolhi esta atividade porque sentia uma enorme necessidade de mudança, de conhecer, viver e me sentir num mundo que não é meu. Cada dia é um desafio que me encanta e me faz aprender cada vez mais”, diz Regina Weber que, aos 20 anos, trabalhou num projeto de empreendedorismo com adolescentes na Colômbia.

Nesta nova proposta você é desafiado a ampliar seu horizonte e reconhece outras possibilidades para sua vida e trajetória profissional. Aprender além da técnica. É possível adquirir valores, se conhecer a partir do outro e este amadurecimento pode se tornar o seu verdadeiro diferencial. Impactar uma sociedade, ter um desenvolvimento único e intenso transforma sua experiência em outro país em uma meta pessoal. Então, o que está esperando para se tornar um Cidadão Global?

As inscrições estão abertas nos escritórios locais da AIESEC e você pode se informar também aqui no blog ou atrevés das nossas redes sociais.

Twitter: @aiesecbrasil

Facebook: Aiesec no Brasil

Seja um cidadão global

Já pensou em viajar para um lugar paradisíaco como a Indonésia, ou conhecer países do Leste Europeu como Rússia e Polônia? E melhor ainda se nessa viagem você puder, além de ter novas experiências culturais, desenvolver valores como empreendedorismo e responsabilidade social. É isso o que promove o programa de intercâmbio da Aiesec, Cidadão Global.

O grande diferencial do Cidadão Global é que, além de conhecer novos países (Rússia, Indonésia, Ucrânia, Turquia, Polônia), você exerce trabalho voluntário em ONGs e projetos educacionais pelo mundo. Dependendo do local escolhido, você poderá trabalhar com Seminários para crianças sobre a cultura e as tradições do Brasil; Organização de workshops e aulas sobre assuntos como liderança, cidadania, empreendedorismo, Realização de atividades culturais e recreativas com teenagers em acampamentos de verão e muito mais.

Para participar tem que:

  • Ser estudante de Instituições de Ensino Superior ou ter no máximo 2 anos de formado;
  • Ter no mínimo 18 anos e no máximo 30 anos;
  • Ter disponibilidade para viajar entre Novembro e Fevereiro;
  • Falar inglês e ou espanhol em nível intermediário – avançado;
  • Ter interesse por intercâmbios para desenvolvimento pessoal e experiência cultural.

Em breve você vai ver aqui no blog histórias de alguns dos nossos Cidadãos Globais. Mais do que um intercâmbio, ser um Cidadão Global vai ampliar a sua visão de mundo.

Pronto para fazer a diferença? Então acesse o link e faça sua inscrição: http://bit.ly/bMf6VW

Para conferir as datas de inscrição de acordo com sua cidade, continue lendo:
Continuar lendo Seja um cidadão global