O que o empreendedorismo do Egito pode te ensinar em um intercâmbio?

 

Em 2011 o Egito foi espaço de protestos e revoltas populares contra o governo da época. A falta de democracia e crise econômica causou o inconformismo da população que lutou por um futuro melhor. Em 2017 podemos ver as mudanças causadas pela revolução civil, as melhorias nas condições de vida e o engajamento da população envolve também o empreendedorismo forte dos jovens egípcios.

Após a primavera árabe a população egípcia começou a acreditar mais em si. Esse comportamento empreendedor vem criando alternativas para a concretização de um caráter empresarial no país ao atrair investimentos internacionais e iniciativas locais de financiamento, como o surgimento de aceleradoras. Empresas como Google, Microsoft e Nokia estão de olho e investindo em universitários e suas empresas. Convidamos você para fazer parte dessa história de ascensão do Egito!

Estagiar em uma startup internacional pode te acrescentar mais do que imagina! Um ambiente desafiador é uma forma prática de se desenvolver em um espaço multicultural como o Egito, sua cultura extremamente rica aliada à inovação tecnológica crescente pode ser o destino certo para alavancar o seu currículo e suas experiências pessoais. Como um intercambista você irá colaborar para o crescimento sustentável da organização, sua visão e experiências pode causar um grande impacto para a população que ainda procura sua estabilidade.

O programa empreendedor global é para você que quer sair da zona de conforto sem esquecer do lado profissional, o ambiente moderno e jovem de uma startup proporciona uma visão ampla e realista do mundo. Contato com um novo país exige adaptabilidade e criatividade, o que acha de aprender com o Egito e aplicar todo o conhecimento adquirido como diferencial no mercado de trabalho brasileiro e mundial?

Se interessou? Conheça mais sobre essa oportunidade inspiradora clicando aqui!

 

AIESEC é sobre liderança!

Ser um líder carrega muitos significados e interpretações pessoais, com isso a AIESEC lançou uma campanha para entender o que a palavra liderança transmite para o nosso público. Com uma pergunta rápida, “O que é liderança para você?”, o grande número de respostas confirmou aquilo que já sabíamos, liderança não tem apenas um significado e é isso que faz termos respostas tão boas e diferentes entre si! No fim da campanha sorteamos uma taxa do Voluntário Global para o vencedor colocar sua liderança em prática em um intercâmbio.

A vencedora foi a Leticia Lima, para ela liderança é uma qualidade que desenvolveu desde cedo em sua vida, quando aos 10 anos se matriculou no Colégio da Polícia Militar do Paraná, acredita que sua rotina diferente dos colégios tradicionais fez ela ser o que é hoje, com uma visão voltada a solução e também de empoderamento. Agora formada, Leticia planeja ser médica e foi sorteada no mesmo mês em que prestará o vestibular para medicina, no momento está conciliando sua ansiedade para a prova e também para o seu intercâmbio. Seu ânimo para essa experiência vem da vontade que sempre teve de conhecer outro país, de poder ajudar cada vez mais pessoas e também no que um choque cultural pode agregar para a sua formação pessoal. “Ter contato com pessoas de outras culturas amplia seus horizontes. Fazer um intercâmbio voluntário te mostra realidades que talvez sejam muito distantes da sua e isso vai te levar a compreender e aceitar a diversidade que existe nesse planeta, isso é lindo!”, afirma.

Agradecemos a todos que participaram respondendo a nossa pergunta, o objetivo da AIESEC é desenvolver liderança jovem e é de suma importância sabermos o que essa palavra transmite para os jovens do Brasil.

“Liderança é individual e coletivo, é ensinar e aprender” Mayana Conessa

“Liderança é estar a frente sem deixar ninguém pra trás” Patrícia Oliveira

“Liderança é transpor toda sua experiência e aprendizado para além de si próprio, para os outros, para o mundo” Lucas Silva

“Liderança é saber conectar suas paixões com a forma de agir” Gustavo Senna

AIESEC é sobre liderança!

Romênia, o destino certo para os apaixonados por mistérios

 

Situada no leste europeu, a Romênia possui o tamanho do estado de São Paulo e cerca de 20 milhões de habitantes. Sua cultura rica se faz presente intensamente em suas cidades, sendo o país berço do Conde Drácula, dos ciganos e também de lutas políticas que mantém até hoje as construções do regime comunista. O destino perfeito para quem é apaixonado por história e quer conhecer de perto todos mistérios que este país carrega!

O contraste entre as grandes cidades e o interior é o que faz a Romênia um lugar tão fascinante. Se você quer viver como um romeno moderno pode optar pelas cidades maiores, mas se quiser se aventurar no interior e conhecer de perto a tradição camponesa te garanto que não será uma má escolha. Além disso, abriga 7 patrimônios mundiais tombada pela UNESCO. Por que não conhecer de perto tudo que a Romênia e os seus habitantes acolhedores podem te proporcionar?

Transilvânia

Romênia abriga cerca de 190 castelos e palácios, sendo o castelo de Bran o mais conhecido por ser o local que o autor escolheu para o Drácula. Também na Transilvânia fica o maior museu de sal do mundo, local de turismo e também de tratamento médico pela qualidade de ar que a mina proporciona. Rinite não será um problema lá dentro.

Vilarejo de Sapanta

Reza a lenda que os romenos não tem medo da morte, por isso possuem um cemitério diferente dos tradicionais. Poesia, sarcasmo e cores vibrantes são usadas para homenagear aquela pessoa que já se foram neste cemitério a céu aberto com mais de 800 lápides.

Cárpatos

As montanhas dos Cárpatos, que cobrem parte do território romeno, formam a maior floresta preservada da Europa. A região abriga 400 espécies únicas de mamíferos e serve de lar para 60% da população de ursos-europeus. E é nessas montanhas que o ditador comunista Nicolae Ceaușescu  decidiu construir uma estrada para estratégias de fuga e também para demonstrar prosperidade, hoje a rodovia Transfăgărășan possui o título de “melhor estrada do do mundo”

 

Bucareste

A capital transborda cultura e história, é onde está localizado o Palácio do Parlamento, construído também por Ceaușescu, com 350mil metros quadrados, considerado o maior edifício da Europa e o segundo maior do mundo, perdendo apenas para o Pentágono. Além de possuir um bairro próprio para a criatividade da cidade, com lojas, museus, galerias, vida noturna e restaurantes.

 
Mesmo com tantos pontos fascinantes a Romênia é um dos países mais pobres da Europa, seus desafios ainda são grandes e você pode ajudá-la a se desenvolver sem esquecer da importância que suas tradições carregam! Se interessou por este destino ainda pouco desbravado pelos brasileiros? A AIESEC possui diversas vagas de intercâmbio voluntário por todo o território romeno, com certeza encontrará o melhor projeto para o que está procurando.

Conheça mais clicando aqui!

Erradicação da pobreza: Conheça melhor um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU

Temos muito o que fazer para melhorar o planeta até 2030. Vivemos hoje em um mundo repleto de desafios e, para que eles sejam superados ao longo dos anos, precisamos cuidar de uma coisa de cada vez, determinando metas e ações que ajudem no nosso desenvolvimento hoje e no futuro. Pensando nisso, a ONU identificou 17 dessas áreas que precisam, com urgência, de cuidados de atenção, e determinou os ODS: Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

 

Conhecidos também pela sigla em inglês SDGs (Sustainable Development Goals), os ODSs são metas indicadas pela Organização das Nações Unidas em 2015, durante a Cúpula das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável. A iniciativa busca direcionar todos os países para que novos hábitos sejam implantados no mundo, com o objetivo de atingir resultados significativos até o ano de 2030.

 

Um desafio e tanto, mas que pode ser atingido com colaboração internacional e empenho de governos, instituições e cidadãos.

 

Aproveite para ler o Guia Básico sobre as SDGs

 

Objetivo 1 – Erradicação da Pobreza

 

Já falamos aqui no blog sobre os 17 objetivos globais. Para te ajudar a entender melhor as metas definidas pela ONU, seus impactos e sua importância para um mundo melhor, que tal entender um pouco mais sobre o primeiro problema que devemos combater nos próximos anos: acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares.

 

De acordo com as metas definidas pelas Nações Unidas, os países precisam se unir em parcerias para criar mobilização e movimentar recursos, com o objetivo de eliminar a pobreza em todos os sentidos. A intenção é oferecer condições mínimas para que a população de baixa renda possa ter capacidades suficientes de se manter e viver com qualidade e saúde, o que seria feito a partir de programas e políticas voltados para a pobreza.

 

Hoje, são consideradas extremamente pobres as pessoas que vivem com menos de 1,25 dólares por dia, o que equivale a menos de 4 reais, para todas as despesas de moradia e alimentação, por exemplo. Existem atualmente mais de 830 milhões de pessoas nessa situação, concentradas principalmente no sul da Ásia e na África Subsaariana, além de países pequenos e afetados por conflitos.

 

Para a ONU, todos os países devem começar a buscar, a partir de agora, a reduzir pelo menos à metade o número de homens, mulheres e crianças, de todas as idades, que fazem parte desse índice de pobreza extrema, em todas as dimensões. Isso significa oferecer direitos iguais aos recursos econômicos, acesso a serviços básicos, propriedade e controle sobre a terra, recursos naturais, tecnologias apropriadas e serviços financeiros.

 

Assim como em todos os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, este também apresenta uma série de ações que podem ser realizadas ao longo dos próximos anos para atingir as metas estabelecidas pela ONU. Para a erradicação da pobreza, até 2030 os países devem construir a resiliência dos pobres e daqueles em situação de vulnerabilidade, para protegê-los de eventos extremos como os relacionados ao clima e desastres econômicos, sociais e ambientais.

 

Além disso, deve-se buscar uma mobilidade de recursos que proporcionem meios adequados para países em desenvolvimento e menos desenvolvidos, a partir de programas e políticas para a redução da pobreza. A ONU recomenda o investimento acelerado, até 2030, nas ações voltadas a esse objetivo, através de marcos políticos sólidos em níveis nacional, regional e internacional.

 

Leia mais sobre a ODS 1

 

Para você, como devem ser as ações para a erradicação da pobreza no mundo até 2030? O que você e seus amigos podem fazer hoje para colaborar com esse Objetivo de Desenvolvimento Sustentável? Conheça a AIESEC e faça sua parte por um mundo melhor!

Estou me formando e agora?

Os anos de faculdade estão chegando ao fim e a expectativa de uma vida adulta independente está próximo? Calma, temos uma solução pra você! O mercado de trabalho cada dia mais concorrido exige profissionais capacitados e com experiência, os diferenciais é o que decide se você será contratado ou não. Um  estágio internacional pode ser o que você esteja precisando para começar sua carreira profissional, além de já estar aprimorando o seu currículo para a competitividade do mercado de trabalho.

Uma experiência multicultural carrega grande valor pessoal e profissional, estar em contato com diferentes culturas e idiomas é uma ótima opção para crescimento. Um espaço desafiador provoca desenvolvimento, sua autoconfiança e proatividade serão instigadas o tempo todo. Aliás não são essas duas qualidades que as empresas procuram em seus funcionários?

Começar uma vida em uma nova cidade não é fácil, mas pode te proporcionar grandes experiências e principalmente autoconhecimento. Sair da zona de conforto é inevitável para ampliar horizontes, uma mudança de vida que inicialmente pode te assustar no fim pode resultar na melhor experiência da sua vida! Muitos dos nossos intercambistas são efetivados na empresa em que estagiou, você pode ser o próximo que conseguiu um emprego fixo fora do Brasil.

Alexandre Pezzini chegou faz poucas semanas em Bogotá e já está trabalhando na Sutherland. Afirma que o suporte da AIESEC fez toda diferença para a adaptabilidade em uma nova rotina, além de ganhar aguardente colombiana ao chegar. A cidade o agradou muito, a beleza de suas ruas e a receptividade de seus habitantes eliminaram o receio que tinha de não saber espanhol, “Notei que eles tem muita paciência para entender o meu portunhol” afirma. Mas não é só por bogotanos que a cidade é habitada, muitos brasileiros estão por lá também e o Alexandre já conheceu alguns, até piquenique no El Country já fizeram.

O programa Talentos Globais é focado em pessoas como você, finalizando a graduação ou já formados, a duração do estágio varia entre 6 à 12 meses, além de experiência você recebe uma remuneração para viver em sua nova cidade. As opções de empresas são diversas, você pode trabalhar com marketing na índia ou com TI na Colômbia, por exemplo. É a sua chance de conhecer um novo país e a aprimorar o seu currículo ao mesmo tempo!

Quer conhecer mais? Se inscreva aqui e comece a procurar agora a melhor vaga para o seu perfil!

O que é liderança para você?

Para Beatriz Castellon liderança é seguir aquilo que faz seu coração bater mais forte! Mas contra isso, sentia que faltava conexão entre seus interesses pessoais e a sua faculdade de engenharia civil. Sua proximidade a questões ecológicas e sustentáveis se perdia dentro de uma graduação ainda conservadora e distante daquilo que realmente queria para sua vida. Como válvula de escape decidiu fazer seu intercâmbio voltado para o Objetivo 13 do Desenvolvimento Sustentável da ONU, focado em atuar nas causas das mudanças climáticas.

Durante 6 semanas trabalhou em um projeto sobre aquilo que ama e que carrega grande valor pessoal, ajudou uma região em ser mais sustentável desde aulas de educação ambiental até criação de um viveiro e composteiras. Em uma comunidade carente no Peru conseguiu encontrar a resposta que no Brasil ainda não havia encontrado: A união entre seu sonho e sua graduação. Foi em seu intercâmbio que conseguiu enxergar na prática como a engenharia civil era importante para melhorar a infraestrutura e a realidade daquelas pessoas que conviveu, estando diretamente ligada a sua aptidões. “No último dia do projeto percebi como eu podia fazer o que eu queria”, afirma.

O autoconhecimento da Beatriz se intensificou durante seu intercâmbio e hoje tem maior segurança de como se pode fazer aquilo que ama. Engajamento é a palavra usada para resumir sua experiência, sua luta é por um mundo mais sustentável e com isso empoderar o máximo de pessoas possíveis. “Eu fiz uma pequena mudança no Peru mas pretendo fazer muito mais na minha cidade, assim como espero que as crianças com que trabalhei queiram mudar a realidade delas”.

A palavra liderança é muito ampla para resumirmos em poucos parágrafos, então precisamos da sua ajuda! O que é liderança para você? A resposta da Beatriz já sabemos, agora queremos saber a sua. Participe da nossa promoção e concorra a taxa de um intercâmbio voluntário da AIESEC, pode ser que seja a sua vez de ter uma experiência desafiadora que mude sua vida e melhor ainda, por nossa conta.

Clique aqui para participar do sorteio e boa sorte!

Planejando o intercâmbio em dois meses: A história do Renan e da Bruna

Você já pensou em planejar o seu intercâmbio dois meses antes de partir? Uma ideia assustadora para maioria das pessoas, mas esse planejamento imediato não significa desorganização e muito mesmo uma brecha para uma má experiência. O Renan e a Bruna podem desmistificar melhor para você que o intercâmbio não é um sonho distante.

Um ponto importante desse intercâmbio acontecer foi o destino escolhido, os dois são universitários e dão aula para complementar a renda, o salário não é alto e como não possuíam quase nada de dinheiro escolheram um país com um custo de vida baixo e também passagens mais acessíveis. Além disso, os benefícios do projeto escolhido fez toda a diferença, um projeto com 3 refeições inclusas faz seu gasto ser bem menor.

Eles se conectaram com o propósito do intercâmbio voluntário da AIESEC e em duas semanas após a primeira reunião já estavam certos que era o momento do intercâmbio acontecer. Contrato assinado e taxa paga, e agora? Em dois meses eles embarcariam em sua aventura conjunta no Peru, porém só tinham poucas economias. Com data marcada eles tiveram que se desafiar antes mesmo do seu voluntariado para conseguirem ir com tranquilidade para o intercâmbio. E eles conseguiram.

Curioso para saber como? Aqui vão alguns detalhes do que eles fizeram para conseguir esse dinheiro e te inspirar que com criatividade e engajamento o seu intercâmbio pode acontecer:

Venda de rifas

A clássica rifa foi o primeiro pensamento dos dois, aproveitaram que o dia das mães estava próximo e apostaram nessa ideia prática e de baixo custo. O que fez toda a diferença foi o engajamento de toda a família, amigos e até membros da AIESEC que compraram essa ideia juntos e saíram vendendo rifas pelas cidade. Ao todo venderam por volta de 500 rifas que ajudaram e muito.

Sebo online

Os dois desapegaram dos muitos livros que estavam servindo como decoração, aliás quem não tem livros que funcionam mais como acessório da casa? Com isso criaram uma página no facebook para divulgar livros  com preços acessíveis. “Vender os livros foi a parte mais difícil” afirma Renan, mas no final esse dinheiro reverteu numa experiência incrível.

Rodízio de pizza

Por quê não fazer um jantar para amigos e família para arrecadar dinheiro? Com a ajuda da mãe do Renan fizeram um rodízio de pizza com um preço fixo para todos convidados, uma troca justa entre as pessoas que confiaram neles.

Viram só como é possível? Deixe sua criatividade ativa e coloque em prática suas ideias, a AIESEC promove liderança jovem mas isso não significa que só deve acontecer nas datas do seu intercâmbio. A dedicação do casal fez  eles terem uma experiência incrível no Peru, mas deixo a fotos falarem por si que todo esforço valeu a pena.

 

Qual tweet do Neymar reflete a situação atual do seu intercâmbio?

O ousado chegou! Neymar pode ser um dos jogadores de futebol mais renomados do mundo, mas isso não faz dele menos gente como a gente. Conta para nós, qual desses tweets resume melhor a situação do seu intercâmbio?

1 – Inconformadíssimx

Aposto que você não é o único descontente com a situação do nosso país e também do mundo, mas e aí, qual o seu papel nisso tudo?

 

2 – O que posso fazer para melhorar o mundo?  

Um trabalho voluntário pode ser uma boa ideia, já pensou em fazer parte de uma ONG internacional seguindo o seu tipo de perfil e causa social?

 

3 –  Se conectou com o propósito da AIESEC 

Opa, incrível! Não vai se arrepender desse banho de liderança que vai desenvolver 😉

 

4 – A plataforma aiesec.org é muito complicada

Só entrar em contato com o escritório mais próximo de você que com certeza algum dos nossos membros vai te dar todo suporte necessário, estamos aqui para ser o facilitadores de todo esse processo desafiador que você se propôs. Não deixe pra depois, pode ser que aquela vaga dos seus sonhos não dure para sempre!

 

5 – TÁ ACONTECENDO

Projeto escolhido, contrato assinado, passagens compradas e chegou o dia da viagem. Com licença, host family…

 

6 – Eu vim para impactar! 

Agora é a hora de colocar em prática todo seu engajamento e expectativas, dê o seu melhor e não esqueça do real motivo de você estar estar aí: Promover liderança. E claro, aproveite ao máximo sua nova cidade.

 

7 – Por que não tem isso no Brasil?

Umas das melhores formas para ter contato com uma nova cultura é experimentando as comidas típicas desse lugar, quem não gosta?

 

8 – Vamos criar um grupo no Whatsapp  

Bem melhor dividir toda essa experiência com amigos, certo? Aposto que você não esquecerá das pessoas que fizeram parte das suas semanas no intercâmbio.

 

9 – Mas parece que cheguei semana passada

Seu intercâmbio ta chegando ao fim? Calma, faça tudo da sua lista que ainda não fez nesses últimos dias para não se arrepender depois. Aliás, lembre-se que agora você é um cidadão do mundo e sempre terá a opção de voltar.

 

10 – Será que vão perceber que isso foi comprado no aeroporto?

Já em terras brasileiras mas esqueceu de comprar as lembrancinhas para a família e amigos? Tudo bem, ainda há tempo de reverter essa situação!

 

11- Melhor experiência da vida!

Já está com saudades? Valeu super a pena? Ficamos muito felizes por ter gostado, a AIESEC também ama vocês <3

 

Quer conhecer mais nossos projetos e o sobre o que fazemos? Só clicar aqui.

Guia básico sobre as SDGs: conheça as metas globais da ONU

Você já definiu suas metas da semana? Determinar objetivos a serem seguidos no curto, médio e longo prazo é uma das melhores estratégias para encontrar motivação e alcançá-los, você sabia disso? Pois a ONU sabe da importância disso para o mundo e criou metas gerais que todo o planeta deve buscar atingir até 2030, pensando na preservação do meio ambiente e em outros fatores essenciais para a vida de todos nós.

 

Se você não ainda não conhece as SDGs, aí vai uma explicação básica do que elas são:

 

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS ou SDG, na sigla em inglês – Sustainable Development Goals) são 17 metas determinadas pela ONU em 2015, que definem os caminhos do mundo para o desenvolvimento sustentável. Elas vão de ações pela igualdade social até iniciativas pelo uso consciente da água e da agricultura.

 

A ideia é que todos os países do mundo façam sua parte para o alcance de cada uma das metas. E isso não vale só para os governos, mas também para as organizações e toda a população, incluindo você! A AIESEC, por exemplo, segue as SDGs em seus projetos de intercâmbio ao redor do mundo, buscando cumprir seu papel na construção de um lugar melhor para vivermos. E você, o que pode fazer para ajudar nosso planeta?

 

Que tal começar aprendendo um pouco mais sobre cada uma das SDGs?

 

1 – Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares

Mais de 830 milhões de pessoas ainda vivem na extrema pobreza, principalmente no sul da Ásia e na África Subsaariana, e em países pequenos e afetados por conflitos.

 

2 – Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável

Uma a cada nove pessoas do mundo ainda é subnutrida, o que causa quase metade das mortes de crianças abaixo dos cinco anos de idade. Investir em pequenos agricultores é um modo de aumentar a produção de alimentos e a nutrição.

 

3 – Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades

A mortalidade infantil e materna vem reduzindo nos últimos anos, mas ainda atingem muitas pessoas em vários países.

 

4 – Assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos

Hoje, a taxa de matrículas na educação primária é de 91% em países em desenvolvimento, mas ainda há quase 60 milhões de crianças fora da escola.

 5 – Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas

Ainda há muita diferença no tratamento entre homens e mulheres, principalmente em lugares como o norte da África, onde as mulheres ocupam menos de um a cada cinco empregos pagos em setores que não sejam a agricultura.

 

6 – Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos

2,5 bilhões de pessoas não têm acesso a serviços de saneamento básico, como banheiros ou latrinas.

 

7 – Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos

Uma a cada cinco pessoas (1,3 bilhão de pessoas no mundo) ainda não têm acesso à eletricidade moderna.

 

8 – Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos

A erradicação da pobreza só será possível se houver empregos bem pagos e estáveis para todos, inclusive mulheres e jovens.

 

9 – Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação

Chega a 1,5 milhão o número de pessoas que não têm acesso a um serviço de telefone de qualidade. A falta de serviços assim afeta a produtividade nas empresas e a geração de empregos.

 

10 – Reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles

Mais de 75% das famílias vivem em sociedades onde a renda é pior distribuída do que era na década de 1990.

 

11 – Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis

Mais de 800 milhões de pessoas vivem em favelas, e esse número segue aumentando a cada dia.

 

12 – Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis

Seria preciso o equivalente a três planetas para oferecer os recursos naturais necessários à população global prevista para 2050.

 

13 – Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos

As mudanças climáticas decorrentes da ação humana continuam aumentando e alcançaram o maior nível da história.

 

14 – Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável

Os oceanos são responsáveis por aproximadamente 30% da absorção do CO² produzido por humanos, reduzindo os impactos do aquecimento global.

 

15 – Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade

12 milhões de hectares de florestas são perdidos a cada ano pela seca e desertificação, prejudicando a agricultura e a vida de animais e plantas terrestres.

 

16 – Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis

O custo de atos de corrupção, suborno e evasão de impostos chega a aproximadamente 1,26 milhão por ano para os países em desenvolvimento.

 

17 – Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável

O uso da internet aumentou de 6% em 2000 para 43% em 2015, mas mais de 4 bilhões de pessoas no mundo ainda não têm acesso à rede.

 

Quer conferir esses e outros dados sobre as 17 SDGs? Dê uma olhadinha no site das Nações Unidas no Brasil.

Estou pensando em fazer um intercâmbio, e aí?

Mochila nas costas, passaporte na mão e um mundo inteiro de novidades pela frente! Se é assim que você se vê dentro de pouco tempo, pronto para começar uma experiência de intercâmbio, não pode se esquecer de que passar um período em outro país exige planejamento e muita vontade.

 

De ser voluntário em escolas infantis à atuar no marketing de uma startup, as opções para quem quer viver o desafio do intercâmbio são muito amplas. Comece avaliando seu perfil e determinando quais são seus objetivos ao passar um tempo no exterior. Hoje, existem projetos de intercâmbio voltados para educação, empoderamento feminino, ações ambientais, negócios, entre diversas outras iniciativas que, sem dúvida, vão te fazer crescer e se autoconhecer de uma maneira única.

 

Se você está pensando em viver essa experiência em algum lugar do mundo, comece lendo um pouco sobre o passo a passo inicial para organizar sua viagem e aproveitar ao máximo essa oportunidade!

 

1. Pesquise

Um grande aliado dos intercambistas é o Google! Sua primeira tarefa é sentar em frente ao computador e pesquisar lugares, programas, referências, fotos, etc, etc, etc. Use a internet a seu favor e tenha a certeza de que encontrou as melhores opções de intercâmbio, baseado em buscas bem feitas e aprofundadas. Uma dica legal é usar indicações de alguém que já tenha feito algo parecido, para saber como foi a experiência e ficar mais seguro de que é isso mesmo o que você procura. Está entre algumas opções e não consegue escolher qual é a melhor? Tem alguma dúvida sobre os processos? Conte com quem conhece as opções e pode indicar a melhor delas para o seu perfil. Aproveite que está por aqui e já dê uma olhada nas possibilidades ofertadas pela AIESEC 😉

 

2. Planeje

Se já decidiu para onde vai e o que vai fazer, é hora de determinar alguns detalhes extremamente importantes. Nesse momento, elaborar um cronograma ou seguir uma planilha pode ser a melhor forma de visualizar todo o processo. Defina a melhor data, calcule quanto de dinheiro você vai precisar, quais cidades pretende conhecer, quanto tempo quer ficar, o que vai precisar antes, durante e depois da viagem… Quanto mais discriminado estiver o planejamento, maior a chance de tudo ocorrer da melhor maneira possível.

 

3. Organize tudo

A partir da pesquisa e do planejamento, fica bem mais fácil colocar as ações em prática. Na etapa de busca, por exemplo, você deve ter descoberto se o país escolhido exige ou não visto de entrada. E no seu planejamento você deve ter lembrado de incluir a emissão do passaporte e a informação de quanto tempo costuma demorar para que ele fique pronto, certo? Comece a organizar tudo isso e a preparar o que vai ser necessário para sua viagem.

 

Não se esqueça também de pensar no que está ficando para trás, para não descobrir nenhum problema em cima da hora. Considere as aulas, os trabalhos pendentes, os animais de estimação, aquela plantinha que precisa ser molhada com frequência: deixe tudo ajeitado e organizado, para não correr riscos ou gerar preocupações.

 

4. Junte dinheiro

Faça as contas: quantas refeições você costuma fazer por dia, costuma gastar comprando roupas, vai precisar de itens extras durante a viagem, quanto custa a passagem de ida e volta para o país escolhido? Cada programa de intercâmbio tem opções diferentes de hospedagem e alimentação, mas é sempre importante considerar um planejamento detalhado para saber quanto de dinheiro você vai precisar antes da viagem e quanto vai usar na moeda local. Esse cuidado vai te ajudar a ficar tranquilo e seguro com seus gastos e necessidades.

 

5. Prepare a mala

Já nas etapas finais para o início da experiência, não se esqueça de considerar o clima do lugar para onde você está indo, em cada época do ano. Pense nos itens de primeira necessidade e no que vale mais a pena deixar para comprar lá. Tente não exagerar na mala, mas não deixe nada importante para trás. Mais uma vez, se planejar é a melhor tática para se prevenir e fazer da sua viagem a melhor possível.

 

6. Abra a cabeça

Fazer um intercâmbio é uma oportunidade única de conhecer culturas e pessoas completamente diferentes do que você está acostumado. Para aproveitar ao máximo essa chance, prepare sua cabeça para vivenciar momentos únicos e explorar tudo o que tiver de melhor durante a viagem. Conheça lugares, faça amizades e esteja disponível para aplicar suas habilidades a favor do desenvolvimento do mundo!

 

Está mesmo pensando em fazer um intercâmbio e se sente pronto para colocar a primeira etapa do passo a passo em prática? Comece pesquisando as opções de programas oferecidas pela AIESEC e conte com nossos membros para te ajudar nos passos seguintes.